Uma missão quase impossível separa o Botafogo da Série B. Com a derrota ontem para o Atlético-PR por 2 a 0, a equipe precisa vencer quatro das cinco últimas partidas do Brasileiro para não ser rebaixada. O resultado adverso deixou a equipe com 33 pontos na décima oitava posição, e a necessidade de conquistar até 12 pontos de 15 possíveis.

Hoje, o Botafogo ainda precisa torcer contra Chapecoense, Vitória, Bahia e Criciúma, que brigam na parte de baixo da tabela. No próximo sábado, o compromisso é o clássico contra o Fluminense, no Maracanã.

— Tem que buscar dentro de cada um a coragem para jogar — disse Carlos Alberto.

— Tem que suar sangue, dar o coração, ter mais pegada. O psicológico está ruim, quando toma um gol parece que tomou três — emendou o goleiro Jefferson.

Na etapa inicial, a postura alvinegra foi de atacar sem conseguir se defender. Primeiro, o Botafogo escapou de sofrer um gol em contra-ataque rápido do Atlético-PR, que Jefferson defendeu tiro à queima roupa de Marcos Guilherme na pequena área. Mais tarde, Marcelo saiu na cara do gol, mas o impedimento foi marcado erradamente. Aos 27 minutos, foi o contrário. Cléo saiu na cara do gol em impedimento, após saída de bola errada do Botafogo, e tocou bem na saída do goleiro: 1 a 0.

O Botafogo foi para o ataque no segundo tempo, mas seguia sem conseguir chances claras de gol. O Atlético-PR jogou com paciência e logo teve a sua. Jefferson foi obrigado a nova defesa difícil em cabeçada de Cléo. Após lançar Bruno Corrêa e Zeballos, o Alvinegro colocou-se em risco máximo.

A falta de criatividade de Carlos Alberto inibia qualquer ação dos atacantes, que abriam pelas laterais e cruzavam para quem chegasse. O volante Gabriel até teve uma chance assim, mas errou.

Para piorar as coisas, Junior Cesar deu um tapa para trás no rosto do adversário quando arrancava para o ataque, e foi expulso direto. Mesmo com um a menos, Zeballos acertou a trave em boa jogada aos 32 minutos. A tentativa de superação quase deu resultado aos 41 minutos. Carlos Alberto achou Jobson na área, o atacante girou e finalizou, mas Weverton fez ótima defesa.

Em novo contra-ataque nos acréscimos, Cléo ampliou e fechou o “caixão”.

Fonte: Extra Online