O Botafogo teve um dia importante para esclarecer detalhes da crise financeira que enfrenta. Uma reunião entre diretoria e jogadores foi convocada para a manhã desta terça-feira após uma faixa expor números e insatisfação do elenco com os salários atrasados – antes de clássico com o Flamengo, no último domingo. A conversa durou quase duas horas.

Um dos líderes do elenco alvinegro, Carlos Alberto elogiou a atitude do gerente técnico Wilson Gottardo em conversar com o elenco em momento conturbado.

O camisa 19 alvinegro ressaltou que não existem planos de greve por conta das dívidas do clube com os jogadores. São três meses de salários atrasados, que se somam a pendências que chegam a cinco meses de direitos de imagem e FGTS. Não há perspectiva de pagamento, mas Carlos Alberto diz que o grupo valoriza a clareza da diretoria para falar sobre o assunto.

“Hoje o Botafogo é um clube mais bem preparado e tem pessoas mais bem intencionadas. Essa é uma grande diferença. Quando existe caráter e clareza, é melhor. Quando não tem, o jogador não respeita e busca o que é melhor para ele”, disse Carlos Alberto, em referência à possibilidade de jogadores tentarem se desvincular do clube através da Justiça.

Ainda sobre os próximos passos do elenco, Carlos Alberto diz que a rotina seguirá no clube. Não há conversar em direção a uma greve por causa dos atrasos salariais.

“Isso seria um tiro no próprio pé. Os jogadores têm o direito de discordar de algumas situações e de ter suas opiniões. Essa questão de greve não foi colocada pela gente. Vamos treinar e jogar”, assegurou o meia.

A conversa com Gottardo não dá esperanças de pagamento das dívidas, mas deixa o elenco com menos dúvidas em relação à atual situação financeira do clube, que tem suas receitas 100% bloqueadas por conta de uma dívida de cerca de R$ 700 milhões.

“Foram esclarecidas algumas situações. O Gottardo é bem transparente nisso e deixou todo mundo à vontade para dar opinião. Uns falaram, outros não. Saímos de lá com um norte a ser seguido”, finalizou Carlos Alberto.

Fonte: UOL