CEP destaca Antônio Lopes e Arena Botafogo como acertos de sua gestão e cita arrependimento na Libertadores de 2017

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Carlos Eduardo Pereira, ex-presidente do Botafogo e atual vice geral
Reprodução/YouTube

Atual vice-presidente geral do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira comandou o clube entre 2015 e 2017. No primeiro ano de sua gestão, teve de disputar a Série B do Campeonato Brasileiro e, dois anos depois, o Glorioso fez uma campanha incrível na Libertadores, passando por cinco campeões mundiais e chegando até as quartas de final.

Bolsas, mochilas e carteiras para torcedores do Botafogo na loja do FogãoNET/Estilo Piti

Carlos Eduardo Pereira destacou a contratação de Antônio Lopes como gerente de futebol como seu maior acerto. Ele lembrou que o Botafogo tinha pouquíssimos jogadores no elenco após o rebaixamento em 2014 e foi preciso começar um planejamento praticamente do zero.

– Maior acerto foi a contratação do Antônio Lopes, porque tudo gira em torno do futebol e ele foi a pessoa com a qual contei em todos os momentos, sobre montar a equipe para jogar a Série B em 2015. Falei a ele que queria subir campeão, dizendo que o Botafogo estava ali por um acidente, que não poderia estar misturado àqueles clubes, com todo o respeito a eles. Queria subir campeão e com antecedência. E foi o que aconteceu – disse CEP ao canal Papo com Léo Careca.

O dirigente também citou a Arena Botafogo, utilizada em 2016 por conta da cessão do Estádio Nilton Santos para os Jogos Olímpicos do Rio, como um acerto. Ele revelou que tentou antes a revitalização do Caio Martins, em Niterói, sem sucesso.

– Nos vimos ali numa situação muito complicada. Nosso plano original era retornar ao Caio Martins, cheguei a me reunir com o prefeito Rodrigo Neves, mas infelizmente não houve a liberação. Fizemos então a parceria com a Portuguesa da Ilha e foi ali que subimos para a Libertadores. Lá ganhamos do Grêmio, do Palmeiras, do Atlético-MG… Foi um alçapão fantástico – recordou.

Erros e arrependimento

Após falar de seus acertos, Carlos Eduardo Pereira também foi perguntado sobre os erros de sua gestão, disse que os cometeu, mas preferiu não revelá-los.

– Erros todos cometem. Não deixei de cometê-los. Algumas coisas poderiam ter sido melhores. Sempre fazemos uma autocrítica do que fizemos e do que poderíamos ter feito. Tive meus erros, mas vou guardar esses erros aqui para mim. Prefiro pedir desculpas pelos erros que cometi, todos sabem de algumas coisas, principalmente essa não-classificação para a Libertadores de 2018, essa talvez tenha sido a maior decepção que causei e me desculpo com vocês – contou CEP, antes de revelar seu maior arrependimento:

– Foi não ter ganho a Libertadores de 2017. Faltou fôlego para fazer novas contratações, a reposição do Montillo, ter um banco mais forte para dar mais opções ao Jair Ventura. Se tivesse vencido o Grêmio, se aquela bola na trave do Bruno tivesse entrado… Se teria um pouco mais de grana, poderíamos sim conquistar o título.

Veja o vídeo com a entrevista com Carlos Eduardo Pereira:

Fonte: Redação FogãoNET e Papo com Léo Careca

Notícias relacionadas