O Botafogo tentou um recurso na Justiça para impedir a penhora das contas e bens pessoais de três de seus dirigentes e perdeu a primeira batalha. O desembargador Ângelo Galvão Zamorano considerou que o pedido não é o instrumento correto para discutir a ação e indeferiu a liminar.

Desta maneira, o presidente Carlos Eduardo Pereira, o vice Nelson Mufarrej e o representante do Conselho Deliberativo na empresa Botafogo, Heraldo Lopes de Almeida, seguem com dinheiro bloqueado. Este último tem R$ 258.124,60 presos, enquanto o presidente está com R$ 2.476,30 congelados e o vice R$ 2.081,16. O bloqueio é um pedido da juíza Elizabeth Manhães Nascimento Borges e a ação tramita na 74ª Vara do Trabalho.

A penhora deve-se a uma ação movida pelo ex-volante Túlio. Ele é representado pelo advogado Theotonio Chermont de Britto, que cobra uma dívida no valor total de R$ 1.363.645,86.

Fonte: FutNet