A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai analisar a proposta do presidente da Federação Baiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues, para que seja adotado o formato de mata-mata no Campeonato Brasileiro, em vez dos pontos corridos, adotados desde 2003. A tendência, no entanto, é que o formato atual seja mantido.

“Acho que está tudo bem com os formatos dos campeonatos. Temos o mata-mata na Copa do Brasil e pontos corridos no Brasileirão. Se os clubes quiserem mudar, vamos analisar, mas acho que ficam os pontos corridos”, disse Marco Polo Del Nero, futuro presidente da CBF em sua cerimônia de posse  na Federação Paulista de Futebol, nesta sexta-feira.

O atual presidente da CBF, José Maria Marin, teve discurso menos enfático sobre a análise da proposta sobre a volta do mata-mata. O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, também se colocou a favor da mudança de formato no Brasileirão.

“Estamos estudando, é um estudo que não depende só da diretoria da CBF. Vamos ouvir todos os segmentos, Globo, patrocinador…”, disse Marin, ressaltando que a palavra final será sempre da CBF.

A volta do mata-mata exigiria, em última instância, um “drible” no Estatuto do Torcedor. O texto, de 2003, exige que pelo menos uma competição de âmbito nacional tenha sistema de disputa “em que as equipes participantes conheçam, previamente ao seu início, a quantidade de partidas que disputarão, bem como seus adversários”. Em tese, o trecho seria uma amarra aos pontos corridos. Ainda que a questão seja polêmica, há quem defenda que nem isso impediria uma mudança.

Fonte: UOL