Após 12 jogos, o Botafogo finalmente voltou a marcar com um de seus centroavantes diante do Sport, no último sábado, quando Aguirre deu números finais ao triunfo por 2 a 0, no Nilton Santos (Engenhão). O gol foi importante para tirar a pressão sobre os atletas e gerou também a famosa “dor de cabeça boa” para o técnico Zé Ricardo.

“Acho que o Aguirre fica mais tranquilo, ainda não tinha marcado, mas agora fez e é um jogador que vai nos ajudar bastante”, disse Igor Rabello em coletiva de imprensa.

Brenner vinha sendo o titular, mas foi mal contra o Sport. Aguirre, por sua vez, vinha em má fase, mas aproveitou os poucos minutos na vaga do companheiro para desencantar e mostrar que pode ser o titular da posição.

A batalha pela camisa 9, porém, não se restringirá à dupla. Isso porque Kieza era o titular absoluto da posição perdeu a vaga por conta de uma lesão muscular. Ele está recuperado e à disposição do treinador para a partida contra o Grêmio, em Porto Alegre, no próximo sábado.

Isso sem contar com o recém-contratado Erik. O jogador foi titular contra o Sport jogando ao lado do camisa 9. Ele, no entanto, pode atuar mais centralizado como explodiu para o futebol no Goiás, em 2014. Com as opções ofensivas no elenco, dificilmente o jogador será aproveitado desta forma.

A tendência é que Brenner volte para o banco de reservas e Aguirre ganhe nova oportunidade entre os titulares. Após perder alguns jogos e se recuperar de lesão, Kieza deve voltar como suplente até recuperar o ritmo de jogo.

O fato é que nenhum dos três jogadores conquistou uma vaga cativa no ataque do Botafogo. Aguirre, Kieza e Brenner travam disputa que tem gerado muita rotatividade no time titular até o momento. Alguém finalmente poderá chamar a camisa 9 de sua?

Fonte: UOL