Se o técnico Vagner Mancini tivesse escalado o Botafogo como começou no segundo tempo — com Bolatti e Zeballos —, poderia ter até tido melhor sorte na partida e, na pior das hipóteses, perderia por uma diferença menor. Mas com o time lento, apático, aberto e sonolento da fase inicial, dando espaços ao São Paulo e com Wallyson inútil na frente, levou chocolate nos 45 minutos iniciais e teve até muita sorte de sofrer só dois gols.

Rogério Ceni só fez uma defesa e o São Paulo teve 67% de posse de bola. Pato e Ganso há muito tempo não encontravam tanta facilidade para fazer passes e lançamentos de categoria e, se não fosse Jefferson, com três grandes defesas, o prejuízo seria maior. Mesmo no segundo tempo, com o jogo equilibrado, o São Paulo controlou a partida, defendendo em bloco e contra-atacando em velocidade.

Vagner Mancini vai precisar tirar água de pedra e rezar para que Emerson Sheik dê alguma força ao ataque. Do jeito que está, continua a perspectiva de que o Botafogo só vai lutar para não cair.

Fonte: Coluna do Márcio Guedes - O Dia Online