Se o presidente Maurício Assumpção não tivesse colocado o ego e a vaidade acima do Botafogo, as coisas não estariam tão mal. Após tantos erros, ele não precisava piorar tudo (bastava a omissão). Quando tinha Edilson, Bolívar e Sheik, a performance era melhor e hoje estaria alguns pontos acima. Sem eles, o time é um bando e a zaga Dankler/Rodrigo Souto um reflexo das lambanças.

Fonte: Coluna do Márcio Guedes - O Dia Online