A derrota em casa para um time tão qualificado como o do Galo, mesmo por um placar que sugere facilidade, não traduz a dimensão exata do resultado.

O Botafogo tem uma vitória nos últimos sete jogos do Brasileiro (duas em dez) e não é exagero que o insucesso está relacionado à dificuldade de fazer gol.

O time fez dois gols em seus últimos 630 minutos de jogo, um a cada três horas e meia.

Para se ter ideia, o último gol de um atacante alvinegro no Brasileiro foi há mais de dois meses.

Mais precisamente, no 3 a 3 com o Bahia, dia 10 de junho, há oito rodadas, quando Kieza marcou duas vezes.

No jogo de quinta-feira contra o Nacional do Paraguai, pela Sul-Americana, podemos ver o quanto o time se desorganiza a cada oportunidade desperdiçada.

A ausência de uma boa referência na área obriga a constante aproximação dos meias, e em determinado momento isso derruba o sistema defensivo.

Não a toa, o Botafogo sofreu onze gols nas últimas sete rodadas do Brasileiro.

Essa limitação vai exigir que Zé Ricardo feche este time, jogando cautelosamente, e ensinando-o, primeiramente, a não perder…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online