Depois de afastar o zagueiro Dankler e os volantes Aírton e Lucas Zen, o Botafogo passou a ter 12 atletas treinando separado em General Severiano. Agora, a ordem dada pelo presidente Carlos Eduardo Pereira ao departamento de futebol é encontrar uma maneira de negociar esses atletas e conseguir reduzir a folha salarial, uma vez que eles continuam recebendo pelo Glorioso.

A missão está nas mãos do vice-presidente de futebol, Antônio Carlos Mantuano, e de Antônio Lopes, diretor de futebol. O Alvinegro sequer espera ter receita com essas transações, apenas reduzir a folha salarial e permitir espaço para a chegada de reforços para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Além dos três já citados, estão afastados os laterais Guilherme, Renan Lemos e John Lennon, os volantes Dedé, Sidney, Fabiano e Dill, o meia Andrade e o atacante Henrique. Dentre todos, o que é visto com maior potencial de negociação é o atacante Henrique. O jogador recebeu sondagem de três clubes da Série A, porém, seu destino mais provável é o Sporting, de Portugal. Os representantes do atleta estão negociando com dirigentes do clube português e novidades podem aparecer nos próximos dias. Nessa transação o Botafogo pode conseguir, inclusive, fazer um caixa ou abater dívidas com o próprio atleta, eliminando futuros problemas judiciais.

O volante Lucas Zen também tem uma sondagem de um clube da Série A, porém, a negociação ainda não esquentou. Já Aírton tem vínculo somente até o meio do ano e não terá o compromisso prorrogado. Alguns jogadores mais jovens, como Guilherme, Sidney e Andrade podem ser emprestados para ganharem experiência e depois tentarem uma nova sorte em General Severiano.

A diretoria do Botafogo acreditando que tirando esses atletas da folha salarial poderá investir na contratação de um jogador de mais nome para o segundo semestre. O preferido continua sendo o meia Maicosuel, hoje no Atlético-MG. Outros jogadores com passagem pelo Alvinegro e que podem voltar são o zagueiro Antônio Carlos, encostado no São Paulo, e o atacante Elias, que defende o Nova Iguaçu, lanterna do Campeonato Carioca.

Fonte: Gazeta Esportiva