O duelo entre os onze jogadores de cada lado é o comum em qualquer jogo de futebol. No entanto, quando Grêmio e Botafogo se enfrentarem hoje, às 21h45, na Arena do Grêmio, pelas quartas de final da Libertadores, os dois homens que ficam atrás das linhas laterais devem ser tão relevante quanto os atletas dentro de campo. Renato Gaúcho e Jair Ventura vivem dúvidas de diferentes naturezas, mas igualmente intrigantes.

Jair Ventura tem mais jogadores com condições de titularidade no meio-campo do que o time pode abrigar. Bruno Silva, Matheus Fernandes, Rodrigo Lindoso, João Paulo e Leo Valencia são as opções para o meio-campo. Para se decidir, Jair precisa pensar no tipo de jogo que quer jogar e no adversário. Como a primeira partida terminou em 0 a 0 — ou seja, o Botafogo se classifica com qualquer vitória e empate com gols, enquanto o Grêmio, jogando em casa e com menos possibilidades de classificação, deve buscar mais o resultado —, espera-se um Alvinegro mais cauteloso. No entanto, Jair afirmou que não vai ficar na retranca.

— A gente sabe da força do Grêmio jogando em casa, mas precisamos saber também que não dá para jogar só no jogo de transição. Vamos ver mais de uma forma de jogo: transição, marcação em cima e outras, como sempre foi — afirmou Jair.

Leo Valencia, titular na primeira partida, deve sair do time se o Alvinegro resolver se radicalizar no seu jogo característico: sem a bola e esperando um contra-ataque. Se ele for titular, João Paulo ou Rodrigo Lindoso saem do time.

A escalação de Lindoso passa pela presença ou não de Luan. Caso o atacante jogue, o Grêmio ganha mais força no ataque pelo meio.

Gatito é grande trunfo em caso de novo 0 a 0

Os dois times, é claro, vão preferir se classificar no tempo normal. No entanto, caso o jogo termine em 0 a 0 e a vaga nas semis seja decidida nos pênaltis, o Botafogo terá um trunfo valioso: o goleiro Gatito Fernández.

Em 12 cobranças feitas este ano, o paraguaio já defendeu sete. É um desempenho impressionante de 58%, superior até ao de Diego Alves na Espanha, que ficou mundialmente conhecido por suas defesas de penalidades máximas. Só na Libertadores, foram três defesas em quatro cobranças, todas contra o Olimpia ainda na fase preliminar, impressionantes 75% de aproveitamento.

Na Copa do Brasil o paraguaio também foi fundamental ao pegar um pênalti na partida contra o Sport, no Estádio Nilton Santos, que teria colocado o time pernambucano à frente no placar. No Campeonato Brasileiro, o Alvinegro já ganhou – ou deixou de perder – alguns pontos pelas mãos dele. Um deles contra o próprio Grêmio, na 20ª rodada, quando Gatito defendeu cobrança do lateral Marcelo Oliveira, que não será titular hoje.

O técnico Renato Gaúcho, ontem, já disse que a equipe do Grêmio treinou pênaltis. Certamente sabe do obstáculo que tem pela frente nesse quesito.

– A gente foi eliminado na semifinal e disseram que queríamos levar para os pênaltis por causa do Gatito. Isso não existe. Não esperamos acabar um jogo de 90 minutos para levar para os pênaltis, esperamos terminar o jogo nos 90 minutos e nos acréscimos. Treinamos pênaltis sim, hoje e a semana toda, porque pode acontecer. Mas as duas equipes vão jogar para que isso não se repita.

No treino, suor de Luan vira pista para jogo

O Grêmio tem uma dúvida principal: Luan. Quando a imprensa entrou no treino do Tricolor gaúcho ontem, ele estava sentado separadamente. Não se sabe, no entanto, se participou da primeira parte, que foi fechada, ou não. O fato de ele ter usado chuteiras pode ser um indício de que joga, ou então uma forma de despistar.

Na beira do gramado da Arena do Grêmio, jornalistas faziam uns aos outros perguntas como “Ele está suado?”.

Tamanho alvoroço em torno de um jogador faz sentido: a fase de Luan é excelente, inclusive com convocações para a seleção brasileira, e o aproveitamento do Tricolor gaúcho com ele em campo é consideravelmente maior. O técnico Renato Gaúcho parece ciente desse fato.

— O Luan é o melhor jogador do Brasil na atualidade. Precisa falar mais alguma coisa? O que muda no Barcelona sem o Messi? Cada um com sua proporção, claro, mas não precisa falar mais nada. Até porque, naquela posição, só temos o Luan.

Caso o camisa 7 não jogue, Fernandinho e Léo Moura (ou Everton/Arroyo) como titulares. Lucas Barrios será o centroavante.

Fonte: Extra Online