Com a negociação de Kieza para o Fortaleza e a lesão de Diego Souza, o Botafogo tem apenas o jovem Igor Cássio para a posição de centroavante no elenco. Sem poder de investimento, os dirigentes seguem mapeando o mercado em busca de uma negociação viável para o atual momento de crise financeira. Se um camisa 9 é a prioridade, a solução para os gols e, consequentemente as vitórias, talvez já esteja no plantel: Erik.

E como todo botafoguense gosta de superstição, toda vez que o atacante marcou, o alvinegro saiu de campo invicto. O jogador de 24 anos, emprestado pelo Palmeiras, já balançou as redes adversárias pelo Glorioso 12 vezes, garantindo oito vitórias e um empate. A fase goleadora começou no Brasileirão do ano passado, no Barradão, contra o Vitória. Em um jogo disputado, o Botafogo voltou de Salvador com a vitória por 4 a 3. O último tento anotado por Erik foi no Nilton Santos, no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, contra o Juventude no empate em 1 a 1.

A boa fase rende o carinho da torcida nas ruas. O jogador revelou em entrevista ao site da CBF que o acolhimento dos botafoguenses surpreendeu os familiares.

– Toda a minha família ficou encantada com a forma com que fui recebido pelos torcedores do Botafogo, e com tudo que vem acontecendo desde que cheguei. A torcida na rua me reconhece, esse carinho é especial. Quando você encontra seu lugar, sua casa, você se sente bem.

Contra o São Paulo, Erik deve atuar mais avançado, próximo ao gol. Mas apesar do bom momento vivido pelo atacante, o técnico Eduardo Barroca admitiu a necessidade de contar com um homem-gol.

– Precisamos sim. Não dá para jogar uma Série A com somente dois jogadores da posição. Já conversei com a direção e logicamente entendemos que temos que ter um nível seletivo alto, trazer realmente alguém que agregue valor. Na minha visão, goleiro e centroavante não dá para brigar. Já conversamos internamente e isso será rapidamente resolvido.

Barroca afirmou estar satisfeito com o desempenho do elenco nos treinamentos, mas ressaltou que continua buscando bons jogadores para reforçar a equipe.

– Entendo que em clube grande nunca podemos estar satisfeitos com o elenco. O jogador precisa ser desafiado em três pontos. Tem que ser melhor com ele mesmo, com o cara que compete com ele na mesma posição e na competição contra o seu oponente. É uma forma que tenho de avaliar, inclusive para definir as minhas escolhas. Estou muito satisfeito com o trabalho desse grupo, mas posso abrir novas competições se achar que estamos precisando.

Com Erik no comando de ataque, o Botafogo abre o Brasileirão 2019 contra o São Paulo, neste sábado, no Morumbi, às 16h.

Fonte: Terra