Na negociação que trouxe Aguirre ao Botafogo em março, o fator decisivo foi a vontade do próprio jogador. Após enfrentar o Alvinegro pela Libertadores do ano passado com a camisa do Nacional-URU, o atacante ficou impressionado com a festa da torcida.

Hoje, às 19h30, contra o Nacional-PAR, pela Sul-Americana, Aguirre vai encontrar uma cenário parecido com aquele que chamou sua atenção em 2017. Com o melhor público do ano no Nilton Santos — a carga de 37.500 ingressos foi esgotada — o uruguaio vai ter a oportunidade perfeita de fazer valer sua contratação.

— Acreditamos muito no potencial dele. Espero que ganhe confiança e que faça gols, porque isso é importante para atacantes. Ele tem muito a contribuir no restante da temporada —comentou Zé Ricardo, que vai comandar o Botafogo pela primeira vez no Nilton Santos, em noite de casa cheia.

Apesar de ser favorito para comandar o ataque alvinegro, Zé Ricardo não confirmou a escalação. Brenner pode aparecer.

— Ainda não sei quem vai jogar, mas também conto com o Brenner —afirmou o Zé, escondendo o jogo.

Kieza, que vinha sendo titular, está lesionado. Decidir o homem do ataque é parte fundamental da estratégia alvinegra, já que o clube precisa marca ao menos um gol para se classificar. Uma vitória simples, 1a 0, ou por dois gols de diferença levam o Botafogo para as oitavas de final.

Portões abrem às 17h30

Como vai receber quase 40 mil pessoas hoje, o Botafogo pede que os torcedores que puderem cheguem cedo ao estádio Nilton Santos. Os portões vão abrir às 17h30.

— O jogo é num horário complicado. Sabemos que a maioria das pessoas terá dificuldade de deixar seus locais de trabalho para vir ao estádio. Portando, quem puder, chegue mais cedo ao estádio — pediu Luiz Fernando Santos, vice presidente executivo do Botafogo.

Como incentivo, o clube vai fazer promoção no preço da cerveja dentro do estádio até a hora do jogo começar.

— A torcida vai comparecer, este é o maior presente que o clube poderia receber. Agora convocamos o torcedor botafoguense a chegar cedo e a entrar no estádio. Muitas outras pessoas chegarão depois e não há estádio no mundo com capacidade para receber 40 mil pessoas em 30 minutos — encerrou Luiz Fernando Santos.

Fonte: Extra Online