Motivo de grande discussão ano após ano, as cotas de TV terão um novo formato a partir de 2019. A divisão do dinheiro investido pela emissora detentora dos direitos de transmissão se dará da seguinte forma: 40% divididos de forma equânime entre os 20 clubes da Série A30% pelo número de partidas exibidas e outros 30% pela posição final da equipe no campeonato anterior. Levando em conta o desempenho de todos os clubes da primeira divisão até aqui (31ª rodada), quando cada clube receberia em 2019?

A partir de um levantamento minucioso, confira o quadro comparativo com a projeção para a próxima temporada, levando em conta quanto cada clube recebeu neste ano e possíveis prejuízos/lucros de cada um:

Como se pode perceber, os clubes que mais seriam impactados (caso as respectivas classificações atuais se mantenham) são os chamados ‘de massa’ pertencentes ao eixo Rio-São Paulo: Corinthians, Flamengo, São Paulo, Palmeiras e Vasco. A antiga repartição das cotas beneficiava àqueles que concentravam transmissões e audiência. Em 2019, partindo de um valor-base fixo para cada um, a disparidade de arrecadação será amenizada.
O novo arranjo gera debate, principalmente entre os clubes que ocupam as primeiras posições da tabela e ainda assim terão “prejuízo certo” para 2019. O caso do Palmeiras é o mais emblemático: mesmo que se consagre campeão brasileiro, receberá menos na próxima temporada em relação à este ano. Por ter outras fontes de receita fortes, a situação do Alviverde é atenuada, o que não é o caso do Vasco, altamente dependente das cotas de TV.
Fonte: 90Min