Rivais na disputa da artilharia do Campeonato Carioca, os atacantes Fred e Bill vivem realidades salariais bastante distintas em Fluminense e Botafogo. O camisa 9 da seleção brasileira na última Copa do Mundo ganha cerca de 20 vezes mais que o centroavante alvinegro, adversário no clássico das 18h30 deste domingo, pela sétima rodada do Campeonato Carioca, no Maracanã.

Com o novo contrato assinado no começo do mês passado, Fred passou a ganhar cerca de R$ 800 mil mensais no Fluminense, valor menor que os R$ 950 mil anteriores, mas ainda bem maior que os modestos R$ 40 mil de Bill no Botafogo. O teto do Alvinegro, inclusive, não é muito acima do salário do centroavante: R$ 50 mil.

Por enquanto, Fred está na frente na artilharia do Campeonato Carioca, com cinco gols, mas vê Bill em seu retrovisor, com quatro. O atacante tricolor, no entanto, não marca há mais tempo que o rival: o alvinegro está sem balançar as redes há dois jogos, enquanto o ex-camisa 9 da seleção brasileira encara jejum de três rodadas.

Peças fundamentais de suas equipes, os dois atuaram em todas as sete partidas de Fluminense e Botafogo. Fred, inclusive, sequer foi substituído em nenhuma dessas oportunidades. Bill, por sua vez, foi trocado em apenas duas oportunidades, mesmo com os companheiros Rodrigo Pimpão e Jobson em alta e brigando por um lugar no ataque alvinegro.

“Esse negócio de salario não entra em campo. O que entra em campo é o momento de cada jogador e o trabalho que cada um fez na semana. Não é nada de salário. Mas o Fred é um grande jogador, de seleção brasileira. Sabemos que ele gosta de fazer gols contra o Botafogo. Faremos de tudo para marcá-lo bem e impedir que ele jogue solto”, ressaltou o volante do Botafogo Marcelo Mattos.

Já Fred minimizou a disputa pela artilharia, mas admitiu a vontade de voltar a marcar em um clássico. O Botafogo, inclusive, é um dos adversários que mais teve sua rede balançada pelo camisa 9 do Tricolor em toda a carreira.

“Especial o jogo porque é clássico. Sempre bom fazer gol em jogo assim. Ciente de que nesta partida a maior importância é a vitória, mesmo que por 1 a 0, com gol de quem quer que seja. Treinamos bem, houve uma evolução grande e estamos muito confiantes”, destacou o centroavante tricolor.

A diferença salarial entre Botafogo e Fluminense não fica restrita aos centroavantes das duas equipes. As folhas mensais também estão bem distantes: o Alvinegro gasta cerca de R$ 1,5 milhão por mês, enquanto o Tricolor banca valor maior apenas com a soma dos vencimentos de estrelas como Fred, Diego Cavalieri, Jean, Wagner, Walter e Gum.

Fonte: UOL