O Botafogo tem neste sábado, ontra o Criciúma, às 21h, no Maracanã, oportunidade de ouro para conseguir sua primeira vitória no atual Campeonato Brasileiro. Em tempo: diante de um adversário que jamais o venceu na competição. A ordem é bater o velho freguês de caderninho para dar início à reação e deixar a zona do rebaixamento para a Série B.

Em penúltimo lugar na tabela, mas com a autoestima crescendo conforme o técnico Vagner Mancini desenvolve seu trabalho, o Botafogo tem outra motivação para a partida: pela primeira vez em três meses, os jogadores receberam o pagamento de salários. A expectativa é ver os reflexos disso dentro de campo.

“A equipe está mais convicta do que pode fazer dentro de campo. A alegria voltou ao clube, mas só será completa no momento em que voltarmos a vencer. Estamos próximos de uma vitória e espero que seja neste sábado”, afirmou o treinador.

Emerson Sheik quer sua primeira vitória com a camisa do Botafogo

Foto:  Divulgação

O otimismo de Mancini também pode contagiar os torcedores, caso eles levem em consideração a boa relação de Sheik, principal jogador do time, com o Maracanã. Na sua estreia pelo Botafogo, há duas semanas, ele comandou a reação no empate (2 a 2) com o Internacional, ao marcar um gol e dar passe para outro. A química tem tudo para ser repetida no jogo contra o Tigre.

O único desfalque de Vagner Mancini é Lodeiro. Com uma lesão na coxa direita, sofrida na derrota para o Bahia, o uruguaio será substituído por Jorge Wagner, mas Edilson pode assumir a função de apoiador no decorrer do duelo com o Criciúma. O garoto Daniel segue na equipe e terá que municiar a dupla Sheik e Zeballos.

Fonte: O Dia Online