Na reta final do Brasileiro, Rodrigo Pimpão está levando a melhor sobre Sassá na disputa pela vaga de titular no ataque do Botafogo ao lado de Neilton. Após iniciar os últimos quatro jogos, o paraense também está garantido diante da Chapecoense, no dia 16, já que o “seu rival” está suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

— É uma questão da parte tática. Com o Pimpão a gente ganha mais mobilidade e velocidade no terço final do campo — disse o técnico Jair Ventura, após o clássico contra o Flamengo, no sábado.

Autor de 11 gols no Brasileiro, Sassá passa por uma fase complicada desde que sofreu uma lesão muscular na coxa direita. O seu último gol foi contra o Internacional, no dia 12 de outubro. Contra o Rubro-negro, o centroavante entrou aos 37 minutos do segundo tempo e, nesse período, levou o terceiro amarelo por uma falta para evitar um contra-ataque.

Por outro lado, Pimpão tem crescido nas últimas rodadas. Desde que retornou ao clube, em maio, o atacante disputou 21 jogos e marcou três gols. Porém, diante do Flamengo, o jogador perdeu a principal oportunidade da equipe nos minutos finais.

— Eu estou com eles sempre, nos momentos bons e ruins. É a situação do treinador, faz parte. Tem vezes que também vou errar, é um esporte coletivo. Quem perdeu o gol ali não foi o Pimpão, foi o Botafogo. Então a gente está junto, tem meu pé naquela bola também e o pé de todos nós — afirmou Ventura.

Com o empate contra o Flamengo, o Botafogo chegou aos 55 pontos e se manteve na quinta colocação. O Glorioso está invicto há sete rodadas.

— Para quem não empatava, empatar há dois jogos não é nada bom, mas também são sete jogos sem perder — completou o treinador do Botafogo.

Fonte: Extra Online