Após a derrota para o CRB, a segunda seguida do Botafogo na Série B, o comentarista Rafael Marques, da Rádio Globo, fez uma série de interessantes observações sobre o atual momento da equipe. Além de ter criticado as escolhas do técnico Ricardo Gomes na hora das substituições – como a insistência em Diego Jardel e o não aproveitamento de Lulinha -, falou sobre a postura dos jogadores.

– O Botafogo parece que não está querendo voltar à Primeira Divisão. O primeiro gol foi irregular? Sim. Mas e o segundo gol? Nem em pelada um jogador faz o que Luis Ricardo fez, de permitir o avanaço do lateral Pery e o gol do Isac. Isso é inadmissível! Falta ao Botafogo um pouco mais de concentração em momentos cruciais, mais atenção. Perceber que o jogo é jogado naquele momento. Tem que estar atento a tudo. O Botafogo está ganhando dos adversários uma perda de respeito. Hoje os times enfrentam o Botafogo pensando: “Pô, podemos ganhar! Se o Santa Cruz ganhou, se o CRB ganhou, se o Paysandu ganhou, qualquer um pode ganhar!” E o favoritismo que foi atribuído acertadamente ao Botafogo vai se esfarelando – disse.

O volante Willian Arão ganhou uma explanação particular. Alvo de Cruzeiro, Palmeiras e Flamengo e num difícil processo de renovação de contrato com o Botafogo, o jogador apresentou recentemente uma queda de desempenho.

– É preciso falar da queda claríssima de produtividade do Willian Arão. Passamos o primeiro turno falando que o Botafogo jogava no ritmo do Willian Arão, que ele fazia o time jogar. Ele teve uma queda de produção muito preocupante na virada de turno, até de mtivação. Ele não é mais aquele jogador vibrante. O Cruzeiro está em cima dele, parece que ofereceu um salário três vezes maior. O jogador fica balançado, é muito complicado para a cabeça de um jogador nessa idade administrar isso tudo. Se ele não estiver focado, em vez de contribuir, vai acabar atrapalhando. O Botafogo tem que cuidar da cabeça dele – afirmou o comentarista.

Fonte: Redação FogãoNET