O árbitro Rodrigo Nunes de Sá e os auxiliares Luiz Claudio Regazone e Wendel de Paiva, que atuaram no jogo entre Volta Redonda e Botafogo, na última quarta-feira, foram afastados por tempo indeterminado. O trio passarrá por uma reciclagem devido a dois gols do Botafogo mal anulados. A tendência é que os árbitros fiquem afastados entre três e seis rodadas.

Os erros causaram prejuízo ao Alvinegro, já que aos 47 minutos do segundo tempo o Volta Redonda conseguiu fazer o gol de empate em 2 a 2, no Estádio Raulino de Oliveira.

O presidente da Comissão de Arbitragem do Rio, Jorge Rabello, ainda admite rever a situação do assistente Regazone, por considerar sua falha aceitável.

– No primeiro gol anulado, os comentaristas da própria televisão só foram perceber por uma câmera atrás do gol que a bola tinha resvalado num jogador do Volta Redonda – destacou. – O segundo, no fim, foi um erro grosseiro. Não era um lance difícil. Era fácil. Não dá pra passar a mão na cabeça – acrescentou, referindo-se à falha de Wendel de Paiva, que assinalou impedimento do volante Fernandes, naquele que seria o terceiro gol do Botafogo.

O assunto será debatido na próxima sexta-feira, em reunião da Comissão de Arbitragem, na sede da Federação, com os árbitros que trabalharam nas partidas do meio de semana.

– A postura do treinador René Simões e do goleiro Jefferson foi bacana, por não terem se escondido atrás dos erros da arbitragem – destacou Rabello.

Fonte: Blog da Marluci Martins - Extra Online