A torcida do Botafogo viu uma de suas principais promessas partir na última sexta-feira: Igor Rabello foi oficializado pelo Atlético-MG, que ofereceu R$ 13 milhões por 70% do General e, em contrapartida, o também zagueiro Gabriel para convencer o Glorioso. Negócio feito.

Gabriel, que realizou exames médicos neste dia 4, na reapresentação do Botafogo, assinou com o clube carioca por empréstimo de duas temporadas. Até pelo elenco limitado, a missão do defensor será ingrata, pois chega para substituir Rabello, prata da casa, xodó, que estava sempre à disposição e em alto nível – em 2018, só ficou fora de um dos 62 jogos do Alvinegro.

Talvez o botafoguense não saiba, mas Gabriel já foi elogiado por Tite. E não foi pouca coisa. O técnico da Seleção Brasileira, além de afirmar que o tinha no radar, o comparou a Marquinhos, astro do PSG, em maio de 2017.

– O Gabriel, do Atlético Mineiro, é a versão Marquinhos jogando no futebol brasileiro – comentara Tite, que não chegou a convocá-lo.

AS CARACTERÍSTICAS DE GABRIEL

À época do barulho feito por Tite, Gabriel vivia a sua melhor fase pelo Galo e estava muito valorizado. Aos poucos, algumas deficiências ficaram evidentes, até pela pouca idade. Repórter da Rádio Inconfidência, Léo Gomide enalteceu os primeiros passos do zagueiro e as suas qualidades, mas também apontou o que o fez perder espaço na equipe atleticana.

– Gabriel começou a ter uma maior sequência em 2016. Muito por conta de lesão de outros jogadores da posição, Leonardo Silva e Erazo. Chegou a fazer boas partidas no início, tem velocidade e bom passe, mas, talvez pelos poucos anos de profissional, ainda peca um pouco no combate, no mano a mano com o adversário. Faz pouca falta… Não que tenha que ser maldoso, mas pode ser que falte a ele malícia em alguns lances para parar a jogada – falou Gomide.

Com 1,80m de altura, Gabriel também ficou marcado negativamente por não ser efetivo nas bolas aéreas, algo que Rabello é um especialista. Até por isso, de acordo com João Vítor Marques, repórter do Superesportes/Estado de Minas, ele passou a ser reserva e viu Maidana ser o titular em 2018.

. No meio do Brasileirão passado, Gabriel virou reserva do time do (Thiago) Larghi. O Atlético tomava muitos gols de bola aérea, e o Gabriel é um zagueiro consideravelmente baixo. Por isso, a dupla de zaga virou Leo Silva e Maidana, que são dois jogadores bem mais altos. É um zagueiro com potencial, mas que precisa recuperar a confiança para voltar a ser seguro. Durante 2018, ele mesmo admitiu que vinha falhando e que não estava no melhor momento. A saída pro Botafogo pode ser uma ótima oportunidade pra retomar as boas atuações do início no Galo – disse João.

Já sondado pelo exterior, Gabriel passa a ter 20% de seus direitos econômicos ligados ao Botafogo, que faz uma aposta ao trazê-lo. Os botafoguenses precisam saber que o promissor defensor de 23 anos (a mesma idade de Igor Rabello) vem em baixa e com a necessidade da recuperar a confiança. No entanto, os processos de adaptação e aceitação têm que ocorrer logo, pois a responsabilidade para passar segurança ao lado de Carli é grande.

Fonte: Terra