O que vinha sendo amplamente discutido no último ano, finalmente foi anunciado oficialmente pela Conmebol: a final da Libertadores passará a ser disputada em jogo único a partir da edição de 2019. A mudança foi aprovada por unanimidade pelo conselho da entidade. Além disso, a decisão vai ser jogada em um sábado, no horário nobre, com os times que irão disputá-la recebendo dois milhões de dólares a mais como bônus e 25% do valor da bilheteria.

“Mais que uma partida, este vai ser um grande evento esportivo, cultural e turístico, que trará grandes benefícios para o futebol sul-americano, seus clubes e seus torcedores. Esta emocionante disputa oferecerá um espetáculo esportivo de classe mundial e uma melhor experiência para quem estiver em casa e no estádio. Em termos de desenvolvimento, projetamos mais renda para o torneio e para os clubes finalistas, assim como uma maior projeção do futebol sul-americano e da Libertadores a nível global”, afirmou Alejandro Dominguez, presidente da Conmebol.

Segundo o comunicado da entidade, a decisão surgiu após a análise de diversos e rigorosos estudos técnicos preparados por consultores especializados. O objetivo é potencializar os torneios de clubes da Conmebol. Entre as variáveis analisadas estão: justiça esportiva, qualidade da competição, emoção do espetáculo, organização e segurança do evento, infraestrutura esportiva do continente, posicionamento mundial do futebol sul-americano, comercialização dos direitos de audiovisual e de mercado da Libertadores, valores para para os clubes do torneio, entre outros.

A partir desta decisão, a Conmebol vai iniciar os trabalhos para elaborar os critérios, mecanismos e processos de seleção da sede da decisão.

Fonte: Esporte Interativo