A união faz a força. Essa é uma frase que pode definir com certa precisão a produção ofensiva do Botafogo na atual temporada. Dos 12 gols marcados pelo clube de General Severiano em 2020, 75% tiveram uma assistência – ou seja, um passe antes do jogador balançar as redes.

A relação também pode ser vista da seguinte forma: três a cada quatro gols do Botafogo tem uma assistência. Ao todo, o Alvinegro teve nove passes para tentos em 2020 e dois jogadores se destacam em tal quesito: Luís Henrique e Luiz Fernando, justamente dois jogadores que atuam pelos lados do campo.

Os dois possuem três assistências cada em 2020. Tal estatística reflete algo vital para a construção de jogadas no Botafogo – tanto de Alberto Valentim e, principalmente, desde a chegada de Paulo Autuori -: a importância das jogadas pelos lados de campo. Com o novo treinador, os atletas nos flancos estão cada vez mais participativos e o número de passes para gol é uma consequência.

Com exceção do gol de Keisuke Honda, contra o Bangu, de pênalti, no último jogo antes da paralisação pela pandemia do coronavirus, todos os tentos marcados sob o comando de Paulo Autuori haviam acontecido com um passe antes do chute final.

De uma forma ainda mais extensa da construção de jogo, o Botafogo teve sete passes para assistência – ou pré-assistências – na temporada. A produção ofensiva do Glorioso pode não ser das mais eficientes do país – 12 gols feitos em 12 partidas disputadas, média de um gol por jogo -, mas as tramas têm, geralmente, nascido a partir de passes.

NÚMEROS DE ASSISTÊNCIAS DO BOTAFOGO EM 2020:
3 – Luís Henrique
3 – Luiz Fernando
1 – Pedro Raul
1 – Joel Carli
1 – Caio Alexandre

NÚMERO DE PRÉ-ASSISTÊNCIAS DO BOTAFOGO EM 2020:
3 – Fernando
2 – Bruno Nazário
1 – Alex Santana
1 – Caio Alexandre

Fonte: Terra