‘Culpado’ por jejum do Botafogo até 89, Metropol deixa saudades em Santa Catarina

Compartilhe:

O futebol catarinense tem uma importante curiosidade: os clubes do interior do estado somam mais títulos que os da capital. Entre os que reforçam os números a favor dos clubes do interior está um de Criciúma que já não existe mais, e que hoje vive apenas na memória e no coração de seus torcedores. Apesar da trajetória curta, o Metropol dominou o futebol de Santa Catarina na década de 60 e teria sido ainda o responsável por uma “praga” que resultou no jejum de 21 anos sem títulos do Botafogo.

A fundação do Metropol aconteceu em 1945, mas era um clube recreativo, que passou a ter um time de futebol apenas em 1959, por um motivo um tanto questionável. Era formado por mineiros da Carbonífera Metropolitana, maior mina de carvão da época. Para minimizar uma das diversas greves dos funcionários, a empresa decidiu criar o time para distrair os operários. E deu certo.

Metropol no SporTV Repórter (Foto: Reprodução/ SporTV)
Metropol conquistou seis títulos catarinenses na década de 60 (Foto: Reprodução/ SporTV)

– Uma grande greve fez com que a cidade parasse, ninguém mais produzia nada, o que levou os donos da Carbonífera Metropolitana a terem uma brilhante ideia: “Vamos criar um supertime de futebol, que faça os nossos mineiros esquecerem a greve” – relatou o escritor Zé Dassilva, torcedor do Criciúma e autor de um livro e um documentário com a história do Metropol. Na inversão de prioridades, o futebol que distraía o povo era tudo o que se oferecia a ele.

– As pessoas não tinham água, não tinham energia, não tinham nada, mas tinham um time de futebol para torcerem. Por causa desse time, o clima se inverteu: patrões e empregados pararam de brigar e passaram a ser abraçar nas arquibancadas, para comemorarem os gols do Metropol – relembra Dassilva.

Tão logo foi criada a equipe, o Metropol conquistou cinco títulos catarinenses num espaço de dez anos: 1960, 1961, 1962, 1967 e 1969. O clube entrou para a história também pela boa campanha na Taça Brasil de 1968, que terminou com o título do Botafogo. Mas o clube carioca não teve vida fácil diante do Metropol nas quartas de final. Nos dois primeiros jogos, uma vitória para cada lado – 6 a 1 para o Botafogo no Maracanã e 1 a 0 para o Metropol em casa, e o terceiro jogo, disputado apenas no ano seguinte, acabou empatado e com a vaga do time carioca, numa situação no mínimo inusitada.

Metropol no SporTV Repórter (Foto: Reprodução/ SporTV)
Equipe de futebol surgiu para distrair mineiro que estavam em greve (Foto: Reprodução/ SporTV)

– Estava chovendo muito naquela noite e o Botafogo fez 1 a 0 com um gol olímpico, que o goleiro (do Metropol) diz até hoje que não entrou. Aí o Metropol empatou. Aos 13 minutos do segundo tempo deu uma chuva muito grande e o Armando Marques, que estava no apito, cancelou a partida. Falaram para o Metropol: “Vocês voltam lá para o Sul e quanto tiver o restante da partida a gente avisa”. O Metropol fez isso e a CBD realmente avisou, mas avisou no dia seguinte: “O jogo é hoje, se não vier, WO” – conta o escritor catarinense.

A polêmica deixou os dirigentes do Metropol desiludidos e acelerou o fim do time que disputou menos de 500 partidas em sua meteórica história. Não sem uma “praga” em cima do Botafogo, que só ganharia um título novamente mais de 21 anos depois, o Carioca de 1989.

– Parecia que a maldição dizia assim ao Botafogo: sofrerás até o dia em que alguém que tenha algo a ver com o Metropol venha lhe redimir e livrar da maldição. Só em 89 o Botafogo viria a ser campeão, e tinha Paulinho Criciúma no ataque, que era sobrinho de Zezinho Rocha, lateral-direito do Metropol. Aí que veio a isenção dos pecados – destaca Zé Dassilva.

O clube encerrou o seu departamento de futebol profissional em 1969 e hoje é apenas um clube amador que atua na região da grande Criciúma, na Liga Amadora da Região Mineira (LARM).

Metropol no SporTV Repórter (Foto: Reprodução/ SporTV)
Metropol jogou diante do Botafogo no Maracanã e “jogou uma praga” no clube carioca (Reprodução/ SporTV)


Fonte: Sportv.com
Comentários