Apenas dois dos 20 clubes que vão disputar a primeira divisão do Campeonato Brasileiro em 2016 são a favor de uma nova eleição na CBF após o pedido de licença de Marco Polo Del Nero da entidade, na última quinta-feira.

Atlético-MG e Botafogo são os clubes que se manifestaram a favor de uma nova eleição em contato com a reportagem do ESPN.com.br.

Corinthians, Coritiba, Palmeiras, Ponte Preta e Inter não responderam, Cruzeiro e Fluminense preferiram não opinar e os demais – América-MG, Atlético-PR, Chapecoense, Figueirense, Flamengo, Grêmio, Santos, São Paulo, Santa Cruz, Sport e Vitória – têm visões diferentes sobre o tema.

“Somos favoráveis a uma nova eleição. Isso é fundamental para a organização do nosso futebol. Não podemos ficar nesse contexto de presidente indicado. Um presidente está preso [José Maria Marin], o outro está afastado [Marco Polo Del Nero]. Não podemos ficar nesse cenário com presidentes indicados. É necessário uma nova eleição”, disse Carlos Eduardo Pereira, presidente do Botafogo, na última segunda-feira.

“O caminho é esse. Antecipar a eleição, escolher o próximo vice [a eleição será dia 16 de dezembro]. Os clubes têm de estar bem articulados para propor que o novo presidente administre a seleção e deixe para os clubes a organização e administração dos campeonatos”, completou Daniel Nepomuceno, mandatário do Atlético-MG.

Outros cinco clubes defendem que o estatuto da CBF seja cumprido. Isto é, que o vice-presidente mais velho assuma a presidência no lugar de Del Nero – com essa regra, a vaga seria ocupada hoje por Delfim de Pádua Peixoto Filho, vice da CBF na região Sul.

A opinião é compartilhada por Atlético-PR, Chapecoense, Figueirense, Flamengo e Grêmio. O time de Florianópolis menciona a importância de uma nova eleição, mas prefere que o estatuto da entidade seja respeitado.

“A entidade está em uma situação difícil, mas o estatuto deve ser cumprido. Se ele for cumprido, o Delfim, que é o vice mais velho, assumirá. Talvez ele possa dialogar com os clubes e antecipar a eleição. O futebol brasileiro está numa situação extremamente delicada. Com a credibilidade muito baixa. Precisamos de mudanças. Ter gente do futebol no comando. Pessoas que conheçam os clubes. Gente que conviva com o meio do futebol diariamente”, disse Wilfredo Brillinger, por telefone, para a reportagem.

O Santos declarou ser a favor de uma nova eleição somente caso o afastamento de Del Nero seja definitivo. Se houver renúncia, é favorável a que o estatuto seja cumprido.

América-MG, Santa Cruz e Sport disseram que preferem respeitar o prazo de licença de Marco Polo Del Nero – que pode durar até cinco meses. São Paulo e Vitória preferem aguardar mais antes de se posicionar, embora o clube admita ver com bons olhos a possibilidade de uma nova eleição na CBF.

PRESIDENTE INTERINO

Sobre Del Nero ter indicado o deputado federal Marcus Antônio Vicente (PP/ES) para um mandato tampão na CBF, a maioria dos clubes não tem opinião.

Assim é também em relação ao pedido de licença do cartola, que é investigado por corrupção pela Justiça dos Estados Unidos.

Os presidentes que atenderam o ESPN.com.br foram: Alencar Magalhães da Silveira Júnior (América-MG), Daniel Nepomuceno (Atlético-MG), Mario Celso Petraglia (Atlético-PR), Carlos Eduardo Pereira (Botafogo), Sandro Pallaoro (Chapecoense), Wilfredo Brillinger (Figueirense), Eduardo Bandeira de Mello (Flamengo), Romildo Bolzan Junior (Grêmio), Modesto Roma Jr. (Santos), Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco (São Paulo), Alírio Rio Lima Moraes de Melo (Santa Cruz), João Humberto Martorelli (Sport) e Raimundo Dias Viana (Vitória).

Fonte: ESPN.com.br