Passados os três primeiros jogos o Botafogo ainda não venceu no Campeonato Brasileiro e, com apenas um ponto conquistado, amarga a permanência na zona de rebaixamento. O mau momento, somando a eliminações precoces no Campeonato Carioca e na Copa Libertadores, tornam General Severiano um caldeirão a beira de uma explosão. É com esse clima que o Glorioso vai a campo no sábado para enfrentar o Criciúma, às 21 horas (de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), pela quarta rodada do Brasileirão.

Cientes de que a pressão por um bom resultado será enorme e que a chance de errar é grande, os jogadores do Botafogo pregam a tranquilidade como melhor caminho na busca pela primeira vitória no Brasileiro.

“Será um jogo muito complicado, pois vamos jogar em casa e a pressão da vitória será toda nossa. O fato de ainda não termos vencido neste Campeonato Brasileiro torna a situação ainda mais complicada. Porém, vamos precisar saber administrar isso tudo e atuar com muita tranquilidade. Apenas dessa maneira que vamos conseguir construir o resultado que nos interessa”, disse o zagueiro Dória.

O goleiro Jéfferson concorda. “Será um jogo entre uma equipe que tem a pressão de conseguir a vitória e deixar a zona de rebaixamento e de outra que vai estra tranquila, vindo de vitória e procurando explorar os erros do adversário. Portanto, não vamos encontrar facilidades, mesmo jogando no Maracanã. Porém, o Botafogo tem jogadores experientes e sabe que vai precisar de muita tranquilidade para saber lidar com essa situação e não cair no erro da afobação. O importante é ganhar o Criciúma e teremos noventa minutos para construirmos o resultado”, afirmou o arqueiro, lembrando que o Criciúma vem de um triunfo de 1 a 0 sobre o Figueirense.

A vitória do Criciúma no clássico catarinense também foi lembrada pelo meia Daniel. “Não vai ser um jogo tranquilo, pois estamos na zona de rebaixamento e a torcida quer uma resposta imediata do time, que ainda não venceu neste Campeonato Brasileiro. O Criciúma também não tem um time ruim e vem de vitória em clássico, o que sempre aumenta a confiança. É natural que a pressão maior caia em cima da gente e vamos precisar de muita tranquilidade para não sermos surpreendidos. Se agirmos com afobação a chance de um tropeço vai ser bem maior”, disse Daniel.

Fonte: Gazeta Esportiva