Alex Santana era um alvo cobiçado no mercado. Se o Paraná foi rebaixado em 2018 e penou durante todo o Brasileiro, o meia conseguiu se destacar e atrair holofotes com boas atuações pelo Tricolor. Pra trazê-lo, o Botafogo saiu na frente da concorrência e até incluiu Rodrigo Lindoso, um dos capitães e o então mais longevo no elenco alvinegro, na negociação com o Internacional.

Talvez o botafoguense não lembre, mas Alex Santana foi o responsável por calar 30 mil torcedores no Estádio Nilton Santos e certamente foi bastante xingado – direta ou indiretamente. Isso porque, na despedida de Jefferson, pela penúltima rodada do último Brasileirão, o jogador foi o responsável por empatar a partida com um golaço, da entrada da área, já na etapa final. Erik, no entanto, voltou a marcar naquela noite e deu a vitória ao Botafogo (2 a 1).

O personagem que protagonizou o anticlímax no Niltão chegou a ser tema da entrevista exclusiva de Jeferson ao LANCE!, concedida em dezembro, logo após o encerramento da carreira do ídolo alvinegro.

– Não (chegou a brincar)… quer estragar a minha festa? (risos) Mas faz parte. Claro que estava muito ansioso e me cobrando muito quanto à performance. Não poderia encerrar a carreira com derrota – comentou o agora ex-goleiro.

Alex Santana já havia marcado contra o Botafogo no primeiro turno do Brasileirão. E a ocasião também era especial para o clube carioca, uma vez que Zé Ricardo estava estreando sob boas perspectivas. Ele marcou já nos acréscimos, também com chute de longa distância, e empatou o jogo – encerrado em 1 a 1. A evolução de Alex, revelado pelo Inter, é nítida.

– Com Alex Santana, joguei uns três anos com ele na base do Inter, muito bom jogador. Começou mais na frente, no profissional retornou um pouquinho. Muito bom jogador. Onde ele estiver, vai ajudar bastante – disse Gustavo Ferrareis, outro reforço do Glorioso e que atuou com Alex há alguns anos.

Alex Santana, de 23 anos, esteve emprestado ao Paraná ao longo de toda a última temporada. Ele também já foi cedido ao Guarani e ao Criciúma. Para reforçar o Botafogo, assinou um vínculo de três anos e passou a ser a esperança de boas atuações e gols importantes, só que agora do lado “certo”.

Fonte: Terra