Seria difícil achar uma esquina com mais simbolismo em Porto Alegre nesta semana do que a da Rua Botafogo (nome do time que enfrenta o Grêmio pelas quartas de final da Libertadores) com a rua de 20 de setembro (o dia do jogo). Mais a ver impossível.

Nesse canto da capital gaúcha, que liga os bairros de Menino Deus e Azenha, funciona de tudo. Dos estabelecimentos mais comuns, como lava-jatos, até os mais extravagantes. Pouco antes da esquina com a 20 de setembro, está o Motel Botafogo. Fundado em 1978, décimo ano do jejum de títulos do Alvinegro (azar no jogo, sorte no amor?), um cartaz diz que o local foi votado “um dos 12 motéis mais Tops de Porto Alegre”. A reportagem apurou que não há promoção em caso de vitória alvinegra. A gerente nem sabia que o Botafogo joga na cidade no fim de semana, mas o torcedor ou torcedora carioca que quiser terminar a noite de amanhã lá sabe: na Libertadores, gol fora de casa vale mais.

Subindo cerca de cem metros, encontra-se a “Lancheria Tropical”. Lá, os gremistas se reúnem em todos os dias de jogos para acompanhar o Tricolor gaúcho. O calor da torcida é bom para todos:

— Em dias de jogos grandes do Grêmio, dá um movimento a mais (risos) — afirma a gerente do Motel Botafogo, Maura Oliveira. Ela não se arrisca, no entanto, a dizer se o local é frequentado mais por Tricolores ou Colorados. — Bem na frente do motel tem outro bar que os torcedores do Inter frequentam.

Os jogadores do Botafogo ficarão num local mais tranquilo, longe da agitação. Eles embarcaram para Porto Alegre no fim da noite de ontem após um treinamento rápido no Estádio Nilton Santos, e a chegaram no fim da noite de ontem. Junto com o elenco, torcedores também começam a chegar na cidade gaúcha. Os ingressos para Alvinegros ainda estão disponíveis para compra na Arena do Grêmio, e a troca do voucher pelo bilhete poderá ser feita amanhã no hall do hotel Radisson, onde o time está hospedado, ou no próprio estádio.

Fonte: Extra Online