Convidado especial do programa Bola da Vez, o técnico do Botafogo, Renê Simões, comentou o episódio no qual se referiu a Neymar como um ‘monstro’. Agora, a avaliação do comandante sobre o atleta é outra: ‘Equilibrado, com um comportamento sensacional’.

Durante o jogo entre Santos e Atlético-GO, pelo Campeonato Brasileiro de 2010, o atacante bateu o pé e ficou bravo com o técnico santista, Dorival Júnior, depois que ele não foi o escolhido para uma cobrança de pênalti.

Depois da partida, Renê Simões, comandante do clube goiano, falou: “Estou extremamente decepcionado. Estou desde garoto no futebol e poucas vezes vi alguém tão mal-educado desportivamente. Sempre trabalhei com jovens e nunca vi nada assim. Está na hora de alguém educar esse rapaz, ou vamos criar um monstro. Estamos criando um monstro no futebol brasileiro”.

Mais de quatro anos depois, o treinador se justificou no Bola da Vez. “O problema maior não foi esse, foi o Leandro Vuaden, que eu gosto muito como árbitro. Ele deu a saída, e o Neymar ainda estava no campo de jogo do Atlético-GO. Ele chamava o Neymar, ele não voltou, e o árbitro começou o jogo”, afirmou.

“Eu tava tão equilibrado e isso estava processando na minha cabeça, que minha primeira atitude foi me dirigir ao Leandro Vuaden. Eu fui lá e disse: ‘Você precisava ter educado esse menino. Quando ele falou o que falou para o treinador e o capitão do time dele, você tinha que ter dado o amarelo. Quando ele não veio para o campo dele, você teria que ter dado o vermelho’. Ele falou: ‘O tempo vai ensiná-lo’. Eu disse: ‘Discordo'”, explicou.

“Fui, dei minha entrevista toda, falei do jogo, e depois eu achei que devia falar. Ainda bem que eu tive o cuidado de falar ‘mal educado desportivamente’, porque os pais dele o educam muito bem. Quando eu falei ali, era um processo de formação profissional dentro da área”, contou Renê Simões.

Fonte: ESPN.com.br