Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

X

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

X

Escudo Botafogo
BOT

Campeonato Carioca

10/04/21 às 21:05 - Raulino de Oliveira

Escudo Volta Redonda
VRE

2

X

2

Escudo Botafogo
BOT

De novo? Gottardo revive tempo de atleta e tem nova crise com ídolo do Botafogo

0 comentários

Compartilhe

Wilson Gotardo não se importou com as consequências e deu início a um duelo com o principal jogador do Botafogo, o goleiro Jefferson. O resultado não foi bom para ele, que perdeu a queda de braço e mal visto por torcedores e até mesmo a maioria dos jogadores. E o problema do atual diretor de futebol do Alvinegro com ídolos do clube não chega a ser uma novidade.

O Botafogo, como se sabe, foi campeão brasileiro em 1995. Túlio Maravilha foi o grande destaque daquele time, com sua irreverência e, claro, gols decisivos. E mesmo com o título, o Alvinegro teve que encarar uma grave crise em seus bastidores. O elenco estava completamente rachado entre o ‘time Túlio’ e o ‘time Gottardo’, então zagueiro e um dos principais líderes na oportunidade.

O desentendimento era notório entre zagueiro e atacante. Gottardo não suportava as regalias que Túlio Maravilha tinha da diretoria, que o liberava até mesmo de alguns treinamentos para que ele participasse de programas de televisão. Isso gerava fortes cobranças da parte do defensor à estrela da companhia, que tinham que ser contornadas pela ‘turma do deixa disso’.

E é justamente no quesito regalia que Wilson Gottardo voltou a viver crise com um ídolo do Botafogo, desta vez como dirigente. Após Jefferson defender a seleção brasileira e pedir dispenda da partida contra o Santos pela Copa do Brasil, o clima pesou entre os dois.

O diretor esperava o atleta no hotel em São Paulo, onde o Botafogo estava concentrado. Jefferson, no entanto, desembarcou no aeroporto de Guarulhos e seguiu para o Rio de Janeiro, ignorando a hierarquia de comando. Gottardo ficou revoltado e expôs a situação na imprensa, dando início a crise.

No dia seguinte à eliminação do Botafogo, Jefferson quis responder e disse que o diretor foi covarde, mas pediu desculpa ao Botafogo por não ter ido ao hotel em São Paulo. Gottardo, no entanto, treplicou e disse que o goleiro tem falha no caráter.

“Não vejo nome. Para mim, todos os jogadores são iguais. O que diferencia o Jefferson do Gabriel é apenas o salário. As obrigações de atleta é igual para os dois. A única diferença entre os dois deve ser o salário, o que o Jefferson fez por merecer ao longo de sua carreira, é simples”, disse Gottardo ao Foz Sports na semana passada.

A situação só foi contornada após o presidente Maurício Assumpção entrar no circuito. O mandatário se reuniu com a dupla no último sábado e pediu para que ambos se respeitassem e que qualquer novo entrevero seja discutido internamente.

O clima, no entanto, segue complicado. E assim deverá permanecer. Os jogadores não gostaram da forma como Gottardo conduziu toda a situação e abraçaram Jefferson após a polêmica. Após o empate com o Sport, em Volta Redonda, o diretor sequer apareceu no vestiário, algo rotineiro nas partidas.

Comentários