No dia 11 de dezembro de 2016, no mesmo estádio onde jogará amanhã, contra o mesmo adversário, Bruno Silva marcou o gol da vitória por 1 a 0 contra o Grêmio, na última rodada do Brasileiro, que deixou o Botafogo dentro da zona de classificação para a Libertadores. Agora, a expectativa é maior: conseguir outra vitória importante em Porto Alegre, pelas quartas de final da maior competição do continente. Se depender de Bruno Silva, o gol pode ser dele de novo.

Bruno, já sabe o que vai fazer quando pisar no gramado: irá até a baliza que ele balançou no ano passado.

— É um estádio que, para mim, vai sempre ter um gostinho especial. Me traz muitas coisas boas, muitas recordações importantes – disse.

Antes de marcar o gol, a partida do ano passado já era importante: havia sido adiada por causa da tragédia envolvendo o voo da Chapecoense, e Bruno, ex-jogador do time catarinense, entrou em campo com a camisa de Cleber Santana, um amigo que faleceu no acidente.

No Nilton Santos, no entanto, um mau desempenho no jogo de ida, reconhecido pelo jogador.

— Foi muito abaixo do que eu podia, eu sei disso, tenho noção, assumo minha responsabilidade. Sei da minha importância e sei que fiquei devendo nesse jogo. — afirmou. – Acho que vou estar bem melhor (amanhã) porque sei que estou devendo. Eu sei que estarei acima do que fui aqui.

O Botafogo tem a chance de manter viva a campanha dos sonhos que vem tendo. O desempenho do Alvinegro surpreendeu muita gente, menos Bruno.

— Quando eu marquei o gol e a gente se classificou para a Libertadores, eu já imaginava tudo isso. Não imaginava a gente saindo na pré-Libertadores, nem ficando na fase de grupos, e nem nas oitavas. E o grande obstáculo nós teremos na quarta. Mas espero que esse sonho nosso não termine na quarta, e sim que ainda possa ainda durar alguns meses – projetou.

Fonte: Extra Online