Desafeto de Luxemburgo, Edílson chega motivado para clássico contra o Flamengo

Compartilhe:

A chegada de Vanderlei Luxemburgo trouxe à tona uma antigo desentendimento com um jogador do Botafogo. Quando chegou ao alvinegro, no início do ano passado, o lateral-direito Edílson reclamou da postura de seu antigo treinador, que o comandou no Grêmio.

Na época, ele disse que no Botafogo, diferente do clube gaúcho, “jogador é jogador, treinador é treinador, diretor é diretor”. No Grêmio de Luxemburgo, disse que havia “cartas marcadas”. Questionado na tarde desta quinta-feira se o reencontro com o técnico o motiva, Edílson deu um leve riso antes de responder.

– Sem dúvida. Com Vanderlei ou sem Vanderlei, a motivação em um clássico sempre é a mesma, mas vou dar algo a mais, com certeza – disse Edílson. – Além disso, é meu aniversário. Vou falar para meus companheiros que quero essa vitória.

Nesta quinta-feira, Edílson treinou tanto na lateral-direita quanto improvisado como volante. O técnico Vágner Mancini fará nesta sexta-feira um treino fechado à imprensa em que deve definir o time, que só será conhecido momentos antes do clássico de domingo. O próprio jogador revelou não saber quem será escalado.

– Até eu estou em dúvida do que ele vai fazer. Isso é importante. O grupo está todo à disposição. Pode usar tanto eu quanto o Lucas na lateral e tem várias opções no meio-campo. O leque está aberto contra o Flamengo. Independente de quem entrar, os jogadores vão dar o seu melhor. Vamos entrar em campo para buscar a vitória – completou.

Botafogo e Flamengo se enfrentam neste domingo, no Maracanã, às 18h30, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.



Fonte: O Globo Online
Comentários