O projeto desenvolvido pela Ernst & Young, contratado pelos irmãos Moreira Salles, tem um desafio grande pela frente para o Botafogo. Para criar a nova empresa, que receberá aporte de investidores e comandará o futebol, o clube precisa de autorização da CBF entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020. Ou tudo poderá ser adiado.

A informação foi publicada pelo jornalista Rodrigo Capelo, em seu blog no “Globoesporte.com”.

“Qual o prazo para a Botafogo S/A?

Este é o ponto crítico de todo o projeto. A CBF precisa autorizar a transferência do direito de disputar uma competição nacional – no caso, o Campeonato Brasileiro – de uma pessoa jurídica para outra. Mas esta transferência só pode ser feita entre a segunda semana de dezembro e a terceira semana de janeiro. Caso os envolvidos não consigam aprontar toda a transformação até a terceira semana de janeiro de 2020, todo o projeto seria postergado para fim de 2020, início de 2021.”

Antes, o Botafogo necessita autorizar o prosseguimento do projeto, aprovar com o Conselho Deliberativo e, possivelmente, mudar seu estatuto. Com todas as aprovações, a nova empresa ainda tem de captar cerca de R$ 300 milhões com investidores para quitar dívidas de curto prazo.

Fonte: Redação FogãoNET e Blog do Rodrigo Capelo (Globoesporte.com)