A homogeneidade parece ser o segredo do Botafogo. Quem entra mantém o bom nível e é esse fator que anima a equipe na busca pela difícil — mas possível — vice-liderança da Taça Guanabara. Afinal, rotatividade tem sido a tônica, mas nem por isso os resultados deixaram a desejar. Contra o Boavista, domingo, o técnico Ricardo Gomes mudará outra vez a equipe, em função de suspensões e lesão, mas espera ver de seus comandados a entrega na busca pela vantagem do empate nas semifinais do Carioca.

Para que o Botafogo fique em segundo lugar na Taça GB, além de bater o time de Bacaxá, é preciso que haja um vencedor com placar dilatado no clássico entre Fluminense e Vasco — o Alvinegro precisa tirar diferença de dois gols de saldo para o time da Colina e cinco para o Tricolor. Algo possível, mas que não chega a ser obsessão.

Conscientes, os jogadores frisam que primeiro têm de passar pelo Boavista para depois pensar nos outros resultados. A meta é bem mais ampla. “Ficar em segundo não era nosso objetivo. Nosso objetivo sempre foi ser campeão da Taça Guanabara, até porque ano passado conseguimos esse feito. Este ano a gente entende que pode ser campeão estadual e vamos fazer isso. Vamos sempre jogar para vencer. Com vantagem ou não, sempre vamos em busca das vitórias”, frisou o lateral Luis Ricardo.

Sem contar com Carli, suspenso, e Fernandes, lesionado, o técnico Ricardo Gomes comandou o treino de ontem com Renan Fonseca na defesa, Gegê no meio e Neilton com Luis Henrique no ataque. “A gente entende que na semifinal teremos todo o elenco à disposição, mas é bom para o Ricardo testar”, analisou Luis Ricardo.

Fonte: O Dia Online