A derrota para o São Paulo em casa, no último sábado, trouxe outros prejuízos ao Botafogo, além da perda dos três pontos. O Alvinegro não poderá contar com o lateral-direito Fernando e o atacante Luiz Fernando, na próxima quarta-feira, quando enfrenta o Bahia, na Fonte Nova, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os dois estão suspensos por terem recebido o terceiro cartão, no Nilton Santos. Na lateral, o mais provável é que Marcinho retorne à posição que já ocupou, enquanto na frente, Rodrigo Pimpão deve ser o provável substituto. Com essa formação, fica aberta vaga na ponta direita, com Leo Valencia e Lucas Campos como os mais cotados. Os dois têm sete jogos no campeonato, mas números que indicam diferenças de características.

Valencia e Lucas têm números similares estão empatados no número de assistências no Brasileirão, com três cada. A diferença é que uma do chileno resultou em gol de Alex Santana contra o Atlético-MG, na 18ª rodada. O número de passes certos também é similar. O chileno tem 71 e Lucas, 73. Nos cruzamentos Leo leva pequena vantagem com cinco contra apenas um do jovem colega.

As diferenças começam a ser notadas nas finalizações. Valencia tentou o chute a gol sete vezes e Lucas, quatro. Nos desarmes, ficam mais evidentes a favor do jogador de 21 anos, que tem dez, sete a mais que o companheiro.

Valencia leva vantagem na briga, em razão do histórico recente. O jogador de 28 anos foi utilizado pelo técnico Eduardo Barroca no segundo tempo das três últimas partidas da equipe e vem agradando. Contra o Galo, iniciou a jogada do segundo gol da equipe marcado por Alex Santana. O chileno está no Botafogo desde 2017. Na temporada passada, viveu o melhor momento pelo clube e terminou o ano com 49 jogos, cinco gols marcados e 11 assistências, que fizeram dele o maior garçom botafoguense de 2018. Este ano, vinha sendo pouco aproveitado até a partida da 18ª rodada.

Um dia antes do duelo contra o São Paulo, Barroca revelou que vem realizando testes nos treinamentos, com formações que podem favorecer Valencia.

– Tenho por hábito nos treinamentos não definir uma equipe. Misturo todo mundo, dou condições iguais a todos. É muito mais por característica, se optar por um meia em vez de um centroavante, com a possibilidade de utilizar quatro homens no meio-campo, em vez de três, e dar mais liberdade aos dois homens de frente, com menos responsabilidade defensiva para eles A opção de entrar com um meia de origem, mudar um pouco a nossa estrutura me agradou muito – disse o treinador em coletiva na última sexta-feira.

Agora vai?

Lucas Campos é cria da base botafoguense e um velho conhecido do técnico do período em que comandou a equipe Sub-20 do Alvinegro, mas oscila entre bons e maus momentos na temporada, o que é comum a jogadores jovens. Contra o Athletico Paranaense, pela 14ª rodada, teve uma das melhores atuações ao entrar em campo quando a partida estava empatada em 1 a 1 e sofrer o pênalti que resultou no gol de Diego Souza e, consequentemente, na vitória do Glorioso.

Se for o escolhido para enfrentar o Bahia, pode ter mais uma chance de se firmar na equipe. A última vez que entrou em campo foi na derrota por 3 a 2 para o Internacional, em Porto Alegre, na 17ª rodada, ocasião em que foi substituído no intervalo, depois de começar jogando.

Outras mudanças

O Botafogo terá o retorno de Diego Souza, que não pôde atuar contra o São Paulo por cláusula contratual que previa multa, caso fosse escalado. Além de não pode contar com Fernando e Luiz Fernado, Barroca também não sabe se poderá ter Alex Santana e Carli, os outros desfalques contra o Tricolor paulista. Os dois ainda se recuperam de lesão e dependem de avaliação do Departamento Médico do clube durante a semana para saber se terão condição de jogo.

O Botafogo visita o Bahia, na próxima quarta-feira, às 21h30 (de Brasília). Com o resultado do último sábado, o Glorioso estacionou nos 27 pontos, na 10ª colocação.

Fonte: Terra