Diego Jardel, sobre a Série B: ‘Teremos que estar preparados para as adversidades’

Compartilhe:

O Botafogo cumpriu sua parte na Copa do Brasil. Após vencer o jogo de ida contra o Capivariano por 2 a 1 em São Paulo, o técnico René Simões teve o luxo de rechear o onze inicial de reservas na volta no Nilton Santos, na quarta-feira. O resultado foi mais uma vez satisfatório: vitória tranquila por 3 a 0 e classificação à terceira fase da competição, onde enfrenta Avaí ou Figueirense.

A partir de agora, o foco do elenco alvinegro é somente em um: retornar à elite do futebol brasileiro. No sábado, a equipe começa sua missão, visitando Belém para enfrentar o Paysandu, às 21h. No Campeonato Paraense, o Papão foi derrotado na final para o Remo, por 2 a 1. Apesar disso, o meia Diego Jardel, que foi titular contra o Capivariano, elogiou o adversário.

“Chegou o momento mais importante pro clube no ano e teremos que estar preparados para as adversidades que encontraremos nesse caminho. Paysandu é um adversário difícil. Respeitamos a equipe deles, mas vamos com intuito de impor nosso ritmo, fazer nosso jogo. Amanhã, vamos colher mais informações sobre o Paysandu, ver como eles jogam e explorarmos os defeitos”, afirmou.

A experiência de jogar a segunda divisão não é novidade para Diego Jardel. Em 2014, ele fez parte do elenco do Avaí que obteve a vaga, terminando na quarta posição do campeonato com 62 pontos. Para o meia, o Botafogo está no caminho certo para conquistar êxitos ao final do ano.

“Eu vim pra cá porque gosto desse tipo de desafio. Com o Avaí, fui feliz. Aqui no Botafogo é o mesmo intuito. O grupo que foi formado no início do ano foi pensando na Série B. Demos uma boa resposta nesse primeiro semestre, fazendo boa campanha no Carioca”, disse.

Em um campeonato de pontos corridos, a força do elenco é necessária para suprir ausências e combater os momentos críticos. O Alvinegro deu uma prova de consistência ao conseguir um bom resultado com uma equipe mista na Copa do Brasil.

“O René conversou comigo durante a semana e perguntou se eu gostaria de jogar contra o Capivariano. Disse que sim porque precisava de ritmo, porque fiquei um tempo parado. Acredito que todos souberam aproveitar da melhor maneira possível e o resultado nos dá confiança. Vai ter muita viagem e precisamos do grupo bem preparado”, encerrou.



Fonte: Super Rádio Tupi
Comentários