Com a chegada ao Botafogo, Diego Souza se torna o 17º jogador a vestir a camisa dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro. Mas, em sua apresentação no clube, ele jura que já se esqueceu disso.

“Hoje, não quer nem lembrar onde joguei”, disse ele, filho de uma botafoguense, em sua apresentação no salão nobre do clube, em General Severiano.

Diego afirmou que já conversou com o técnico Zé Ricardo sobre posicionamento. E que deve estar pronto para entra em campo no próximo fim de semana.

Após receber a camisa 7 do clube das mãos do presidente Nelson Mufarrej, Diego afirmou que vestir uma peça que já foi de Garrincha e Túlio, por exemplo, não lhe causa preocupação.

“Não vejo como peso. Fico feliz de estar recebendo essa camisa de grandes jogadores. O que eu pude mais acompanhar foi o Túlio. E o que quero é esses fluidos bons dessa camisa 7 para que eu possa estar bem para vesti-la”.

“O que mais pesou foi o projeto que clube tem, ambicioso, criando identidade muito boa e quero fazer parte disso, para chegar e agregar para ajudar para que o torcedor chegue ao Nilton Santos e saiba o que vai acontecer lá dentro”, afirmou, para aplausos dos presentes, que permearam toda a cerimônia

Quando estava no São Paulo, Diego chegou a afirmar que pensava em aposentadoria ao final de 2019 – quando se encerraria o vínculo com o clube paulista. Mas, na chegada ao Botafogo, alterou um pouco o discurso.

“Fico feliz com a motivação extra. Vou fazer de tudo para me sair bem, dando meu melhor. Chegando o final do ano, a gente estando bem, sabendo que tenho mais lenha para queimar, a gente continua”, afirmou.

“Não quero fazer minha mãe ficar triste,. Ela merece o que está acontecendo hoje. A gente sabe o que batalhou para eu estar aqui hoje e estou feliz demais por vestir essa camisa e dar essa alegria para ela”, disse.

Fonte: ESPN.com.br