Diego Souza não tem tido vida fácil desde a chegada de Alberto Valentim ao comando do Botafogo. O treinador entende que o centroavante não se encaixa em sua proposta de jogo, de maior movimentação e intensidade. O camisa 7, por sua vez, tem correspondido dentro de campo nas últimas oportunidades que teve.

O Botafogo venceu dois dos últimos três jogos —Avaí e Corinthians. Os seis pontos na tabela de classificação têm nome e sobrenome. Diego Souza marcou duas vezes, uma em cada partida, e foi fundamental para o Alvinegro entrar em bom momento. A equipe agora respira, de certa maneira, aliviada na luta contra o rebaixamento.

Alberto Valentim ainda não se rendeu completamente. Ao ser perguntado sobre o desempenho de Diego, o treinador tenta não falar muito do jogador individualmente. O único elogio foi à inquestionável qualidade na finalização, evidente no último domingo. Recebeu passe de Alex Santana e fuzilou de canhota, o pé menos dominante.

“É um jogador importante, que nos ajudou muito. Sabia que quando a bola caísse nele, ele daria essa qualidade nas finalizações, em segurar a bola também. Nós vamos precisar de todos os jogadores. Precisamos muito do Diego e de todos nessas próximas quatro partida. Luiz Fernando entrou e fez bom trabalho, Lucas Barros também entrou muito bem, Vinicius procurou ajudar. Fiz um pedido para que todos se recuperem bem para nos prepararmos para a Chapecoense, outra final para gente”, disse Valentim.

Em um time repleto de jovens e com qualidade reduzida, Diego Souza mostra que é fundamental para esta reta final de Campeonato Brasileiro. O futuro do camisa 7 em General Severiano é incerto e deverá uma conversa no fim da temporada —assim como com Cícero.

Com a vitória, o Botafogo chegou aos 39 pontos e pulou para a 14ª posição do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro volta a campo na quarta-feira, quando medirá forças com a Chapecoense, na Arena Condá.

Fonte: UOL