Diretor da base do Botafogo, Manoel Renha concedeu entrevista à Rádio Brasil, na qual falou sobre a efetivação de Caio Alexandre no profissional. O dirigente elogiou o volante, mas lamentou que, devido à situação do clube, a base não possa entregar jogadores mais prontos para o elenco principal.

– É o momento dele, Caio Alexandre está o último ano de sub-20, dentro desse processo de preparação do atleta e necessidade do clube, que tem procurado dar oportunidades para quem vem se destacando no sub-20. Cedemos recentemente Lucas Barros e Rhuan, agora chegou a vez do Caio. Estamos com pouca chance de avançar no Campeonato Brasileiro sub-20, o Barroca entendeu que para se preparar melhor, como suplementação e musculação são muito melhores no profissional, até o fim do ano o Caio já vai poder ganhar mais massa muscular. É uma das grandes limitações que temos e sofremos, gostaríamos de entregar atleta mais pronto para o profissional, mas em virtude das dificuldades muitas vezes deixamos a desejar. Em 3, 4 meses o atleta que sai da base ganha mais massa magra, diminui percentual de gordura e cresce fisicamente. Futebol hoje é bastante intenso. Além da qualidade técnica, tem que ter condicionamento físico bastante adequada – disse Renha à Rádio Brasil.

Devido ao motivo citado, o diretor da base acredita que Caio Alexandre vai ser utilizado efetivamente apenas em 2020. Ele voltou a comentar sobre a estrutura atual do clube.

– É uma das coisas que me frustra na base, infelizmente, mas dentro da realidade que o clube tem tentamos entregar da melhor possível. Não estamos entregando como deveria, poderia ser o mais próximo possível das melhores condições. Não acontece pela falta de recursos. O próprio fisiologista já deu entrevistas dizendo que precisa de 3, 4 meses para colocar o atleta no nível adequado para o profissional. Com a demanda que o clube tem, corre risco de queimar jogador. No caso do Caio Alexandre, acho pouco provável jogar esse ano. Vai antecipar esse processo (de evolução) e estar em condições físicas e musculares adequadas para a pré-temporada do ano que vem – explicou o dirigente, que vê bastante potencial em Caio Alexandre.

– É um menino que apostamos, tem que evoluir muito, não está pronto para chegar e ser destaque no profissional, mas tem muita qualidade e potencial. Fez treinos com a Seleção Brasileira principal em projeto do Tite de incluir atletas de destaque do sub-20 para viverem o ambiente. Futebol não é ciência exata, mas ele tem potencial e possibilidade. É uma evolução, tomara que aconteça – finalizou.

Fonte: Redação FogãoNET e Rádio Brasil