Após ser dobrado pelo Atlético-MG na transação por Gabriel, o Botafogo decidiu mudar a postura. Cada negociação tem sido feita com mais rigor, sem que o Alvinegro ceda às exigências. Dois casos recentes mostram essa nova postura no mercado da bola: Honda e Gabriel Novaes.

Na última temporada, o Botafogo vendeu Igor Rabello para o Atlético-MG e envolveu o empréstimo de Gabriel por dois anos no negócio. Os mineiros concordaram, mas quiserem colocar uma cláusula que permitia encerrar o ciclo do defensor no Rio de Janeiro caso essa fosse sua vontade.

Os cariocas não gostaram nem um pouco da exigência, mas precisavam do dinheiro da venda de Rabello para pagar salários atrasados. Assim, o Botafogo assinou o contrato da forma como o Atlético-MG queria. Pois um ano depois, Gabriel foi um dos principais destaques do time e os mineiros exigiram seu retorno, sem que o Glorioso pudesse fazer alguma coisa. Nem mesmo o desejo do atleta em ficar mudou a situação.

Muito criticado, o Botafogo decidiu mudar a postura. A diretoria passou a não aceitar qualquer exigência, mesmo que isso resultasse no fim das negociações. Foi assim com Keisuke Honda, inclusive. Em determinado momento, o japonês exigiu que estivesse no contrato que ele teria que disputar 75% dos jogos.

O Alvinegro não levou a ideia adiante, mas deu a entender que faria um esforço para que ele jogasse sempre que estivesse em condições. Essa decisão foi tomada mesmo sabendo da possibilidade de desagradar o japonês, que aceitou as condições e fechou com o Botafogo na sequência.

O caso mais recente foi com o São Paulo. O Botafogo já havia dado a contratação de Gabriel Novaes como certa. O Tricolor, então, exigiu que houvesse cláusula que o jogador não poderia enfrenta-lo. O Alvinegro não concordou e a negociação foi encerrada por falta de acordo.

Dias depois, os clubes retomaram as conversas e o jogador acertou com o Botafogo. Ele poderá encarar o São Paulo quando houver a oportunidade. O Alvinegro encara essa mudança como positiva e serve também para mandar uma mensagem aos rivais.

O Botafogo está em processo de transformação para clube empresa e busca investidores para dar sequência ao projeto. Há interessados, mas ainda não há uma data para que a transição ocorra. Enquanto isso foi criada uma comissão de futebol, uma espécie de diretoria de transição, liderada pelo ex-presidente Carlos Augusto Montenegro.

Fonte: UOL