Elogiado por Seedorf na entrevista em que o holandês anunciou sua aposentadoria, Dória enalteceu o agora ex-jogador do Botafogo. O zagueiro, que atuou hoje no primeiro tempo da vitória no jogo-treino sobre o Olaria por 2 a 1 (dois gols de Daniel), na tarde desta terça-feira, no Centro de Treinamento da CBV, onde o elenco alvinegro faz pré-temporada, disse que soube na véspera da ida do então companheiro para o Milan, onde será técnico. Ele destacou as conversas que tinha com o amigo.

– A gente parava para analisar e sempre, no final das contas, ele tinha razão. Até mesmo hoje, ele falou que a gente pode ser campeão da Libertadores. Sabemos que não vai estar jogando, mas ele está sempre nos ajudando com palavras. Isso ajuda bastante. Com tudo que ele fez e o que ele passou, ajudou não só o Botafogo, mas todos os jogadores, praticamente todos estão valorizados hoje e têm outros clubes interessados. Isso vem da ajuda dele – disse Dória, que falou sobre os primeiros contatos com Seedorf. – No começo, não entendi muito bem quando ele dava bronca. Às vezes é um pouco mais severo, mas durante o ano a gente foi convivendo e aprendendo a lidar com ele.

Até mesmo na forma de jogar, Dória viu em Seedorf um espelho.

– Foi um cara que me ajudou bastante. Quando comecei a jogar, ele sempre conversa comigo até mesmo sobre posicionamento do meu corpo, sobre lançamentos, e eu procurava observar bastante as atitudes dele, a forma como mexia o corpo, deixava a gente ligado no jogo. É um cara que venceu de tudo no futebol e sempre queria mais. Não queria parar por aí. Isso pude observar no convívio. Dei sorte por ter sido no começo da minha carreira – disse. – O Seedorf é um cara que estava sempre botando a gente em alta, deixando a gente na ativa com vontade de vencer e de trabalhar. Nunca deixou a gente se acomodar e passava muita experiência para a gente.

Dória contou também como foram os cerca de 20 minutos em que Seedorf falou com os jogadores do Botafogo no centro de treinamento em Saquarema, onde o time realiza pré-temporada.

– A gente o recepcionou no salão e ele falou com cada um uma última palavra de despedida. É chato isso porque não gosto de despedida. É um momento que não gosto muito porque acho difícil me despedir de um cara que nos ajudou bastante, mas é vida que segue. A gente vai se encontrar mais para frente. Na vida de jogador, a gente roda e se encontra bastante – revelou o jogador.

– Não chorei. Ele me deu um abraço muito forte e agradeceu. As coisas que ele falou são pessoais e Vou guardar o resto da minha vida. Ele me ajudou bastante.

Num recado à torcida que teme como o time vai reagir à saída do astro do time, Dória garantiu que o grupo é forte.

– A torcida pode ficar despreocupada porque não vai faltar vontade e empenho para que a gente faça um excelente ano.

Fonte: O Globo Online