O ano de 2017 teve uma influência tão pesada da Libertadores que é difícil listar os setores do clube que são afetados pela eliminação. Eles incluem elenco, torcida, finanças e muitos outros. A partida de hoje, às 16h, contra o Coritiba, no Couto Pereira, pelo Campeonato Brasileiro, será a primeira chance de o Alvinegro mostrar que pode deixar a derrota de quarta-feira para trás.

O time já demonstrou que agora pensa só no Brasileiro e em permanecer na zona de classificação, ou subir, sempre dentro dela.

— Estamos pensando em voltar à Libertadores ano que vem — afirmou o zagueiro Carli, capitão da equipe. — Qualquer time grande tem obrigação de fazer uma boa campanha, e nós temos a obrigação de brigar por essa vaga.

A partida de hoje se assemelha à contra o Bahia, há três rodadas. Foi no fim de agosto, logo após o Alvinegro ser eliminado pelo Flamengo na Copa do Brasil. Jogando fora de casa, como hoje, o Botafogo foi bem e venceu com tranquilidade. Ficou visível que um peso nas costas do elenco desapareceu.

A área de marketing do clube também se prepara para evitar um êxodo dos sócios-torcedores, que já chegaram a 36 mil e cujo maior motor de crescimento foi justamente a campanha na Libertadores. A estratégia é parecida com a do elenco: tentar mostrar o valor que tem o Campeonato Brasileiro e uma classificação para a Libertadores do ano que vem. O departamento já prepara ações com esse intuito para sócios e torcedores em geral.

Quanto à torcida, a reação, a princípio, foi boa. Resta saber se continuarão apoiando o clube indo ao estádio e pagando as mensalidades de sócio-torcedor.

Fonte: Extra Online