Muitas equipes chegam no último jogo do ano sem nada a disputar, simplesmente para cumprir tabela. Não é o caso do Botafogo. Contra o Cruzeiro, hoje, no Estádio Nilton Santos, às 17h, será decidida não apenas uma vaga na Libertadores, mas a forma como o ano de 2017 entrará na história do clube.

Caso o Alvinegro vença e se classifique para a Libertadores, os Alvinegros olharão para trás e verão um ano positivo e com final feliz. Embora a equipe não tenha conquistado nenhum troféu, teve uma boa participação na Libertadores (foi até as quartas de final) e na Copa do Brasil (semifinal). E ainda conseguiu a classificação para a Libertadores pelo segundo ano seguido, algo inédito na história do clube.

Entretanto, caso o Botafogo não consiga passar para a Libertadores, o gosto na boca dos Alvinegros será amargo. A temporada será lembrada como uma de mágica até setembro, mas em que o time teve uma queda brusca de produção e acabou com um fracasso – a perda de uma vaga que esteve nas mãos do clube, mas que escapou após uma sequência de cinco jogos sem vitória.

O técnico Jair Ventura – mesmo após ter afirmado várias vezes que não via a Libertadores como obrigação e ter comparado a classificação como uma escalada ao topo do Everest – reconheceu que uma não classificação pode representar uma mácula num ano que poderia ter sido considerado vitorioso tendo em vista as restrições orçamentárias da equipe.

Num dos últimos treinos da temporada, Jair teve uma reunião com o grupo em que fez uma retrospectiva do ano. Depois, em entrevista, afirmou:

– Só quem está aqui sabe o que acontece, e eu como líder do grupo sei bastante. Nunca faltou entrega, determinação, vontade. Uma não classificação pode manchar, não para todos, pois recebo muitos elogios nas ruas de ter resgatado o Botafogo. Mas quero todos felizes. Vai ser o jogo do ano, literalmente.

A torcida, que passou boa parte do ano em lua de mel com o time, já mostra muitos sinais de insatisfação, com repetidos protestos. Caso o Botafogo se classifique hoje, em breve a má sequência no final do campeonato será esquecida. Se ficar fora da Libertadores-2018, um bom ano será lembrado como arruinado por uma sequência no fim.

Fonte: Extra Online