Ao marcar o primeiro clássico do futebol carioca, entre Vasco e Fluminense, dia 22, para o Engenhão, a Federação de Futebol do Rio procurou encontrar uma solução para o impasse sobre o lado de cada torcida no Maracanã sem tomar partido. Fugiu da briga, mas não evitou outra preocupação. A dez dias do duelo que envolve duas das maiores torcidas do Rio, o entorno do estádio ainda é um canteiro de obra, o que pode transformar brigas em tragédias.

— Não é o ideal, mas já garantimos a segurança em situações piores, como crateras e ruas interditadas — disse o tenente-coronel e comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios, João Fiorentini.

 

Os trabalhos atrapalham a circulação nas ruas próximas ao Engenhão
Os trabalhos atrapalham a circulação nas ruas próximas ao Engenhão Foto: Rafael Oliveira

Os principais canteiros encontram-se nos arredores do Setor Sul, em frente à estação de trem de Engenho de Dentro; e na Rua das Oficinas, próximo à entrada do Setor Sul. Calçadas incompletas exibem pedras soltas e pedaços de pau, que podem ser transformados em armas em caso de confusão.

 

Obras ocupam o entorno do Engenhão
Obras ocupam o entorno do Engenhão Foto: Rafael Oliveira

Para completar, ainda na Rua das Oficinas há pedras e pedaços de vidro acumulados na calçada, além de pedaços de pau usados como sinalizadores no meio da rua. Em contato com o Jogo Extra, a Secretaria Municipal de Obras garantiu que as obras serão concluídas a tempo para o clássico.

“A SMO informa que as obras no quadrilátero no entorno do Engenhão estão finalizadas. Contudo, a empresa ainda trabalha em alguns pontos que não interferem no acesso ao estádio (…) fundamentais p/ instalação das dutovias (fiação subterrânea)”, explicou em nota.

Fonte: Extra Online