No último final de semana, o atacante Emerson Sheik desabafou, mostrando descontentamento com a diretoria em relação aos salários atrasados que vão completar, nesta terça-feira, 6 meses de direito de imagem e 3 de carteira. Em contato por telefone com a reportagem da Super Rádio Tupi, o lateral direito, Edilson, disse que o grupo está fechando com Sheik e as palavras ditas pelo jogador refletem o pensamento do grupo.

“A gente tem uma palavra só no grupo, ele (Sheik) é um dos nossos líderes, tudo o que ele falou tá correto e a gente tá com ele.Cada um tem seu jeito e maneira de expressar. Eu sou igual a ele, tenho uma personalidade forte, falo o que penso. Quem não gostou, fazer o quê? Sobre o que ele falou, o grupo todo está de acordo.”

Edilson diz que apesar dos problemas, o grupo é profissional e, apesar de revindicar seus direitos, está trabalhando e correndo atrás de seus objetivos.

“Eu digo o seguinte: durante o nosso trabalho, a gente sempre faz o melhor possível, seja durante os treinamentos, durante os jogos… mas, sem dúvida alguma, há uma chateação muito grande, até porque fecha amanhã 6 meses de imagem e 3 meses de carteira, então é muita coisa atrasada. Há uma chateação muito grande por parte de todos os jogadores, mas há um comprometimento também do grupo, a gente tem que se esforçar cada vez mais nos jogos e nos treinos, pra que a coisa não possa virar para o outro lado, que seria o time, sei lá, meio que largando a situação. A gente tem um pensamento diferente, somos um time muito unido, brigando pelos seus objetivos, cobrando o que é de direito, mas trabalhando também e esse é o mais importante.”

O jogador ainda reconhece e agradece o apoio da torcida, ressaltando seu papel fundamental.

“A torcida teve um papel fundamental nesse jogo. Eu acho que eu e a equipe estamos de parabéns, mas acho que eles viram dentro de campo um time unido, um time que com todas as situações que existem hoje no Botafogo, é um time que não para de lutar, independente de todas as coisas. Acho que isso foi reflexo pra que eles aplaudissem mesmo. Eu fico feliz de saber que eles estão do nosso lado e a luta continua. A gente ainda tem muita coisa pela frente, as dificuldades estão aí, é claro, todo mundo vê e a gente precisa do apoio dos nossos torcedores.”

Fonte: Site da Rádio Tupi