Tratado com muito zelo pela diretoria, Bochecha finalmente mostrou nos profissionais o potencial que esbanjava nas categorias de base. Sua trajetória no Botafogo, inclusive, se confunde com a de Matheus Fernandes, dois anos mais jovem e que se firmou antes no grupo principal.

Bochecha e Matheus Fernandes fizeram grande parceria na base do Botafogo e eram sempre os destaques da equipe. Agora os dois estão em alta nos profissionais e podem reeditar a dupla de sucesso sob o comando de Zé Ricardo.

Bochecha demorou a engrenar nos profissionais e muito disso se deve a uma lesão que sofreu no joelho. Teve que passar por cirurgia e ficou um longo tempo afastado dos gramados. Voltou sem pressa ou pressão já que havia mostrado muito pouco após deixar a base.

Nas últimas rodadas do Brasileiro, aproveitou a brecha e pode dar um exemplar de todo seu potencial. Muita categoria e uma tranquilidade que às vezes é confundida com irresponsabilidade para alguns. Para outros, frieza de quem sabe o que está fazendo mesmo diante de situações de alta pressão.

Na derrota para o Palmeiras foi um dos principais jogadores do Botafogo. Não se intimidou e jogou futebol de gente grande. De cabeça erguida, comandou a saída de bola e ainda tentou levar o time ao ataque.

Porém, apesar da boa partida levou o terceiro cartão amarelo e foi obrigado a cumprir suspensão automática diante do Sport, no Nilton Santos. Seria uma grande oportunidade para manter uma sequência. A expectativa, no entanto, é que recupere a posição neste sábado contra o Grêmio, em Porto Alegre.

Fonte: UOL