A polêmica sobre os custos operacionais do Maracanã ganhou mais um capítulo no início da noite desta quinta-feira. Em nota oficial divulgada, o presidente da Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), Rubens Lopes, mandou um recado ao Fluminense, mesmo sem citar diretamente o nome do clube, e oficializou a ameaça de tirar as semifinais e finais do Campeonato Carioca do principal estádio da cidade.

No comunicado, Rubinho avisa: “Qualquer interferência do Maracanã que possa impedir ou prejudicar o cumprimento das decisões do Conselho Arbitral poderá ensejar a não marcação de qualquer partida para esse estádio”. E completa: “Em não havendo contrato ou convênio entre a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e o Complexo Maracanã que contemple e respeite as decisões do Conselho Arbitral, ora apresentadas, nenhuma das partidas das semifinais e finais do campeonato estadual de profissionais será marcada para o estádio do Maracanã”.

A Ferj reiterou que as despesas operacionais dos jogos do Maracanã serão calculadas nos mesmos moldes do contrato da concessionária com o Flamengo, com divisão de lucro e despesas, diferentemente do acertado com o Fluminense, no qual o clube não tem gasto algum e pode lucrar apenas com os setores Norte e Sul, atrás do gols. Se o Tricolor quiser fazer valer o acordo dele, o valor será calculado apenas sobre a parte dele no borderô, e não sobre o total da partida.

Na última terça-feira, em reunião na sede da Federação, ficou definido o modelo ideal para a divisão de renda nos jogos no estádio, mas Fluminense e Flamengo não enviaram representantes para o Arbitral. Na quarta-feira, a diretoria do Tricolor e do Rubro-Negro, juntamente com o Consórcio Maracanã, soltaram uma nota conjunta repudiando a decisão..

A briga continuou, e a Ferj cobrou o Flu um valor de R$ 400 mil, referente à taxa de 10% que a federação tem direito em cada jogo do Estadual. O clube rebateu e contestou a dívida.

Confira abaixo na íntegra a nota oficial da Ferj:

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro após reunião com Complexo Maracanã, ontem, na sede da Federação, vem a público esclarecer quaisquer possíveis equívocos de interpretação quanto à decisão do Conselho Arbitral, em reunião realizada no dia 17 deste mês, em relação aos jogos do Campeonato Estadual a serem realizados no Maracanã:

1- Contratos firmados entre o Maracanã e qualquer filiado constituem-se em documentos legais cujas obrigações dizem respeito e restringem-se unicamente aos signatários dos mesmos, sem interferência, extensão ou obrigações de terceiros a qualquer dos seus dispositivos;

2- O Maracanã não tem qualquer interferência nas decisões do Conselho Arbitral às quais se obrigam apenas os clubes filiados;

3- Com exceção dos camarotes, a receita proveniente de todos os setores serão computadas para fins de apuração do resultado a ser dividido entre os clubes, na proporção estabelecida pelo Estatuto, na forma dos Regulamentos ou por acordo entre as partes e lançadas no borderô oficial da partida, critério praticado nos jogos do Flamengo;

4- As Despesas Operacionais do Estádio e Aluguel do Estádio serão contabilizadas em borderô, obedecendo o mesmo critério aplicado nas partidas, respectivamente, do Flamengo e do Vasco da Gama: a) despesas operacionais calculadas na base de R$ 10,37 por público pagante, limitado ao máximo de R$ 311.000,00; b) Aluguel de estádio, quando cobrado, será calculado de acordo com percentuais diferenciados aplicados sobre a renda líquida;

5- Condições diversas de receita e ou despesa adotadas unilateralmente por qualquer clube, por força de contratos firmados com o Maracanã, serão suportadas apenas pelos clubes signatários desses compromissos da parte que lhe couber do resultado apurado no borderô oficial;

6- Condições diversas poderão ser adotadas desde que por acordo entre as partes;

7- Qualquer interferência do Maracanã que possa impedir ou prejudicar o cumprimento das decisões do Conselho Arbitral poderá ensejar a não marcação de qualquer partida para esse estádio.

8- Em não havendo contrato ou convênio entre a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e o Complexo Maracanã que contemple e respeite as decisões do Conselho Arbitral, ora apresentadas, nenhuma das partidas das semifinais e finais do campeonato estadual de profissionais será marcada para o estádio do Maracanã.

Rio de Janeiro, 19 de março de 2015

Rubens Lopes da Costa Filho

Presidente

Fonte: ESPN.com.br