A derrota na eleição do último sábado, não tirou o ânimo de Marcelo Guimarães. Os 25% dos votos conquistados fazem com que sua chapa possa indicar 14 cadeiras para integrar o próximo conselho deliberativo do clube. E a oposição promete ser ativa no próximo triênio.

“Saibam todos que seremos movidos, durante todo o próximo triênio, pelos mesmos propósitos e ideais que constam em nosso programa e em nossas mais elevadas crenças cidadãs e Alvinegras”, disse Marcelo Guimarães em nota.

A oposição ainda reclamou do uso da máquina durante a eleição: “Desde o início da campanha, a eleição transcorreu com óbvios sinais de desequilíbrio, típicos de estruturas onde se encastelaram forças que se consideram mais proprietárias que outras. O poder econômico, o privilégio no uso dos espaços, a péssima qualidade da lista de eleitores, o uso medíocre e apócrifo de calúnias de ocasião e o desprezo pela democracia, personificado pela fuga dos debates, compõem um panorama geral, que preferimos não detalhar, para não tirar o brilho cada vez mais esmaecido do processo eleitoral do nosso clube”, lamentou.

A oposição ainda aproveitou para divulgar os nomes das pessoas do grupo que farão parte do conselho deliberativo do clube: Alvaro Luiz Carvalho Moreira, Andre Luis da Silva, Antonio Carlos Copello Ferraz Junior, Antonio Landin Meirelles Quintella, Carlos Eduardo Godinho de Souza, Gustavo Henrique da Silva Mesquita, Henri Feres Junior, Luis Eduardo Vaz Miranda, Luiz Eduardo Lessa Silva, Marcelo Camillo Guimaraes, Mauro Sodré Maia, Sergio Tinoco Arpon Soutinho, Sidonio Luiz Ferreira e Walter Amaral Kerr Pinheiro

Veja a carta aberta da oposição:

CARTA ABERTA DO FUTURO ALVINEGRO
CHAPA PRETA E BRANCA 18

Ao
Torcedor, Sócio Torcedor e Sócio Proprietário Botafoguense,

Antes de tudo gostaríamos de agradecer imensamente a cada um dos votos que recebemos e comunicar com entusiasmo que não foram em vão. Nesse caso, os 25% que conquistamos dentre os aptos a votar elegeram 14 dos membros de nossa chapa ao Conselho Deliberativo. Saibam todos que seremos movidos, durante todo o próximo triênio, pelos mesmos propósitos e ideais que constam em nosso programa e em nossas mais elevadas crenças cidadãs e Alvinegras.

Desde o início da campanha, a eleição transcorreu com óbvios sinais de desequilíbrio, típicos de estruturas onde se encastelaram forças que se consideram mais proprietárias que outras. O poder econômico, o privilégio no uso dos espaços, a péssima qualidade da lista de eleitores, o uso medíocre e apócrifo de calúnias de ocasião e o desprezo pela democracia, personificado pela fuga dos debates, compõem um panorama geral, que preferimos não detalhar, para não tirar o brilho cada vez mais esmaecido do processo eleitoral do nosso clube.

Dos apenas 2.007 eleitores aptos a votar, relacionados, em uma lista completamente sem credibilidade, o vencedor foi a abstenção/nulos/brancos, com 46,6% dos “votos”. O nosso amado Botafogo de Futebol e Regatas precisa se reinventar.

Reinventar sem, entretanto, substituir de maneira inacreditável nossa Estrela Solitária, como o feito em uma foto publicada nas redes sociais oficiais do nosso clube ainda ontem, exaltando o nosso time de Pólo Aquático, vestindo a camisa do grupo político que domina com mão de ferro e transparência seletiva o clube. Fato inédito em toda a nossa história. Triste!

Agora é olhar para frente. Como Conselheiros, assumimos o compromisso expresso de apoiar os acertos, propor soluções, fiscalizar e cobrar com retidão e perseverança inegociável o que não julgarmos bom para o Botafogo. Estabeleceremos, também, uma ponte direta entre o Conselho e todos os Botafoguenses. Reconhecemos as mobilizações importantes no âmbito das redes sociais e usaremos esses canais para dar total transparência aos fatos que se diluem, embrenhados nas atas, nos ritos e procedimentos.

Em relação ao voto do Sócio Torcedor, vamos trabalhar por sua imediata regulamentação, já que ainda não está definido o modelo exato e não concordamos com o sugerido, elitista e excludente. Aliás, o atual mandato optou, por razões desconhecidas, não conferir esse direito já nessa eleição. Antecipamos que vamos trabalhar pela universalização desse voto, assegurando meios que permitam ampliar a representatividade do nosso eleitorado, dando direito a votar através de uma plataforma digital na web, atendendo nossa enorme torcida espalhada pelo Brasil e pelo mundo.

Por fim, vamos trabalhar para que esse modelo eleitoral, onde o resultado das urnas se decide praticamente no âmbito dos acordos políticos entre as forças dominantes, seja o último dessa era. Que nosso clube desperte desse imobilismo conveniente e o profissionalismo, em especial nas áreas executivas, seja implantado, elevando-nos finalmente ao patamar que queremos e merecemos. Contem conosco!

FUTURO ALVINEGRO – CHAPA PRETA E BRANCA 18

Fonte: UOL