Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Jogos

Carioca

25/04/21 às 18:00 - Nilton Santos

Escudo Botafogo
BOT

X

Escudo Macaé
MAC

Carioca

17/04/21 às 16:00 - Maracanã

Escudo Fluminense
FLU

1

X

0

Escudo Botafogo
BOT

Copa do Brasil

14/04/21 às 21:30 - Frasqueirão

Escudo ABC
ABC

1

X

1

Escudo Botafogo
BOT

Em longa entrevista, Sheik fala de futebol, Botafogo, STJD, mulheres e polêmicas

0 comentários

Compartilhe

Esta coluna não é especializada em esportes, muito pelo contrário. Mas há muito tempo que Emerson Sheik não figura mais apenas nos cadernos de esportes dos jornais. Ele ficou famoso fora dos campos e sua vida amorosa é mais movimentada do que a de qualquer estrela de novela da Globo. Como um bom jogador de futebol, Sheik mede muito as palavras antes de falar, mas seu diferencial é a inteligência e suas respostas bem elaboradas. O bate-papo aconteceu na última quinta-feira, um dia antes de o Botafogo rescindir o contrato com ele. Mesmo assim, nela, Emerson já demonstra seu descontentamento com o clube. Impressionem-se com a perspicácia de Emerson Sheik.

sheik

A primeira pergunta é: você foi feliz no Botafogo?
O que me entristecia era ver o clube tão abandonado. Nos outros clubes em que estive, por mais que passassem por alguma dificuldade, eu nunca me senti abandonado. No Botafogo, essa é a sensação dos atletas: de abandono.

Qual é a atuação situação do Botafogo?
O clube só tem um campo pra treinar, o que é bem pouco para um clube de série A do Campeonato Brasileiro. São imagens atrasadas, carteiras atrasadas há muitos meses… E faltam coisas no cotidiano. Coisas de estrutura para o atleta se sentir mais valorizado.

Queria saber o seguinte: Corinthians é uma possibilidade real de volta?
Lógico que sim. É um clube que eu tive uma passagem brilhante, uma identificação imensa com a instituição, com os torcedores. As conquistas lá que nós conseguimos… Fora o principal, que são meus sete meses de contrato com o clube. Eu tenho um contrato que tem que ser respeitado. Tenho um carinho imenso pelo Corinthians, pelo torcedor corintiano… Eu voltaria a jogar no Corinthians com o maior carinho.

Vamos falar desse último julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva: você já falou que ficou satisfeito com o resultado da suspensão de quatro jogos. Você esperava ser vítima de uma punição maior?
Leo, eu sou muito difícil de elogiar, mas, quando tem que elogiar, vamos descer do palco e tirar o chapéu. O pessoal do tribunal deu um show. Eles fizeram algo que eu realmente esperava, mas não acreditava. Eles conseguiram dar um espetáculo naquela bancada preservando a democracia. Eu entendi que talvez o lugar (pra falar que a CBF é uma vergonha) que eu tenha escolhido não tenha sido o apropriado. Não tinha que ser no campo, durante o jogo. Ali é meu trabalho. Mas o tribunal teve a sensibilidade de entender o meu momento de revolta e de angústia por tudo o que vem acontecendo dentro da competição e também pelo jogo. O juiz fez tudo o que não poderia fazer dentro daquela partida. Até na própria súmula, ele conseguiu se equivocar.

Mas desde que o mundo é mundo existe a rixa entre juiz e jogador de futebol, não é? Você hoje não faria aquilo de novo, né?
Eu vou ser sincero com você: se eu entendesse que alguma coisa está errada, com a cabeça quente como eu estava naquele momento, faria tudo novamente. Vou falar uma coisa pra você agora que é o que todo mundo também pensa, mas pouca gente fala: os atletas devem, sim, respeitar a arbitragem. Mas a arbitragem tem que entender que o espetáculo é do jogador. Hoje em dia, os árbitros querem ser o centro das atenções e não vão ser nunca! Eu não vi um árbitro ser pentacampeão mundial. Eu não vi árbitro ganhar título brasileiro… Árbitro apita jogos. Eles perderam o respeito com o atleta. Na quarta, o Botafogo jogou contra o Santos pela Copa do Brasil, e Robinho sofreu uma falta de um jogador do Botafogo que o juiz não marcou. Ele foi reclamar e acabou expulso.

Você sabe do poder da sua palavra hoje, que reverbera muito mais do que qualquer outro atleta. Você tem essa consciência?
Leo, eu tenho. Por isso que eu tomo muito cuidado quando vou falar de algo para não colocar minhas ideias em coisas que não valem a pena. Tem gente que tem dificuldade de falar de dinheiro. Eu não tenho a menor dificuldade. Trabalho, ganho o meu e pago as minhas contas como qualquer outra pessoa.

Fala sobre aquele episódio do beijo que você deu no Isaac Azar, do Paris 6?
As pessoas me chamaram de gay pra tudo quanto é lado. Cara, eu não sou gay e também não tenho absolutamente nada contra os gays. Tenho amigos que são gays e eles têm todo o meu respeito. São pessoas normais, como eu.

Mas na época você foi instruído a calar a boca…
Fui. Eu estava no Corinthians e aí você mexe com a paixão do torcedor, que acha um insulto.

O futebol é preconceituoso. A gente sabe de alguns jogadores gays e que nunca vão sair do armário, não é? Ou é falado isso no clube?
Não. Não é falado. Ainda não conheci um jogador gay. Tem aqueles até que a gente desconfia, mas nada é provado. Eu mesmo nunca vi.

Nem aquele que todo mundo sabe que é gay?
Eu nunca tive cem por cento de certeza de um atleta ser gay. Tô falando a verdade. Tem um ou outro aí que as pessoas falam… Mas e aí?

Vamos falar do Márcio (nome de batismo de Emerson Sheik)? Te incomoda sair do caderno de esportes e figurar muito mais no site de celebridades atualmente?
Não me incomoda porque eu sei lidar muito bem com isso. Sei me posicionar e separar minha vida pessoal da profissional. Tem certas coisas que me incomodam, sim… Por exemplo: hoje em dia todo mundo tem um telefone com câmera na mão, que pode fazer uma foto e em pouco tempo estar nos sites. Isso aí me incomoda porque eu estou num momento de lazer. Num momento Márcio, como você mesmo falou. Eu acho que eu atingi um outro público também. As pessoas querem ler a meu respeito e agora eu tomo muito cuidado nos lugares que eu vou. Tomei muita porrada nos últimos meses. Meu nome foi envolvido em muitas coisas. Acho que eu voltei a pensar como o Sheik de antes.

Você namorou a Nicole? Houve um pedido de namoro?
Não aconteceu isso. Não namorei a Nicole. Pra mim foi uma surpresa boa, porque ela foi corajosa, além de ser uma pessoa querida…

Surpresa boa?
Eu acho que ela demonstrou ali os sentimentos dela. Mas, respondendo à sua pergunta, e certamente ela vai ler isso…, não. Não houve pedido de namoro. O que aconteceu foi que ela me avisou das fotos e eu vi como todas as pessoas viram.

Ela foi sua namorada?
Eu conheço a Nicole há muito tempo, desde a época em que ela negava que me conhecia. As pessoas vinham me perguntar e eu me calava. Não ia mentir. Eu a conhecia há um tempo…

Conhecia intimamente falando, né, Sheik?
Sim, sim. E eu não sou a favor da mentira. A gente mantém um contato há muito tempo, a gente se fala e sempre teve um carinho imenso um pelo outro. Mas ela tinha a vida dela e eu tinha a minha. Não era namoro.

Ela falou publicamente que foi traída 26 horas depois de anunciar o namoro. Isso não aconteceu, então? Só existe traição quando há um relacionamento, não é isso?
Leo, tem duas coisas curiosas em relação à sua pergunta agora: foi uma surpresa pra mim ela ter postado as fotos. Não sei se ela falou que estava mesmo namorando ou se pegaram um gancho e fizeram ela assumir uma coisa que não tinha. Agora, Leo, eu não levei ninguém pro clube. O clube é meu lugar de trabalho.

Você não saiu do treino do Botafogo com nenhuma loura?
Não, cara! Isso é história! Pelo amor de Deus! Sempre respeitei os clubes! É o meu trabalho, cara. É de lá que eu tiro dinheiro para pagar as minhas contas, as escolas dos meus filhos, para pagar o diesel do meu carro, do meu barco. Nicole e eu nem conversamos, mas eu nunca faria isso.

Andressa (Quintanilha) foi sua namorada?
Andressa não foi minha namorada…

É uma fofa, uma querida, como todas as outras, né, Sheik?
Exatamente, Leo. Rapaz do céu! É lógico que eu já tive algo com a Andressa, mas não tenho nada mais com a menina. Eu não vejo Andressa há um tempão. Falo com ela só por telefone.

Com quem você está saindo atualmente?
Como falei antes, eu estou tentando resgatar o Emerson de antes.
E como era o Emerson de antes?
Eu sempre fui muito polêmico. Esse lado eu não nego. Mas esse lado de estar cheio de mulheres, esse lance do harém… Pô, Leo… Eu não sou assim. Eu nunca fui assim, na verdade. Em algum momento eu me perdi, talvez tenha me empolgado com alguma coisa e me deixei levar. Hoje em dia, só quero estar com os meus filhos. Se eu falar que não converso com mulher nenhuma é a maior mentira do mundo. Mas até me relacionar com alguém é outra história. Quero encontrar alguém legal.

Você falou que se perdeu, mas isso parece o discurso de alguém que descobriu o mundo agora, que as mulheres passaram a cair em cima agora… Mas isso já é antigo! Desde que você se separou da sua mulher, elas estão presentes na sua vida. O que é que houve? Foi sua vinda pro Rio que trouxe mais exposição?
Acho que por ser um cara solteiro, o envolvimento é natural. O que não é normal é você ser visto toda hora com uma pessoa diferente. Eu tenho direito de sair com quem eu quiser. Eu não devo satisfação da minha vida. O que eu acho que não pode é a exposição, sabe? Todo mundo ficar sabendo de coisas que não tem que saber. Isso é uma preocupação com a imagem. Mais que isso, é uma preocupação como pessoa mesmo. Eu quero voltar a ser o que eu era.

Você é fiel?
Quando estou namorando, eu sou muito fiel.

Você se acha bonito, Sheik?
Eu?

É!
Não sei.

Qual é a sua principal qualidade como homem?
Eu sou um cara alegre, divertido, sincero, honesto… Essa beleza externa é fútil. Mas também não me considero um cara feio.

Seu papo é bom pra cacete, né? Na conversa você pega qualquer uma!
Ah, cara… Eu gosto de papear…

Você disse no programa da Antônia Fontenelle que nem f… você perderia ela. Isso foi cantada? Ou um exercício de sedução?
Antônia falou nesse mesmo dia que o carinho é eterno. Hoje a gente não tem nada um com o outro, mas o carinho e o respeito que a gente tem um pelo outro é muito bacana. Existe uma verdade entre nós que vai permanecer. Quando eu falei aquilo é porque é a mais pura verdade. Hoje, é um outro tipo de relacionamento. Não tem nada a ver com namoro. Portanto, se as pessoas me virem com a Antônia, fiquem sabendo que é só amizade.

Qual é o seu grande talento como homem?
Eu acho que as pessoas gostam de ser bem tratadas. Se tem uma coisa que trago comigo e que aprendi em casa é a tratar as pessoas bem. Eu trato todo mundo bem.

Você sabe quando alguém se aproxima por interesse?
Não é novidade que eu tenho uma vida boa. Eu ralei pra isso. Mas eu sou aquele cara que prego e vivo o direito de igualdade. Eu quero tratar todo mundo igual. Não adianta o que tem mais dinheiro ficar chateado se eu tô tratando ele como eu trato a minha empregada doméstica. Minha mãe foi empregada doméstica a vida inteira. Então se ele não consegue respeitar uma empregada doméstica, ele não consegue respeitar a minha mãe, que exerceu essa profissão. Então é uma amizade que eu não quero pra mim.

Você detecta rapidamente uma interesseira?
Em dez minutos de papo eu já saquei.
A vida é um jogo de interesses. Algumas podem estar interessadas no seu dinheiro e você pode estar interessado no corpo delas…
Eu não gosto de compactuar com essa troca. Eu tenho condições de sentar com qualquer mulher, conversar e conquistar.

Comentários