Dezessete horas após o encerramento da partida, a CBF disponibilizou em seu site oficial a súmula de Caxias e Botafogo, pela Copa do Brasil. No documento, o árbitro Lucas Bellotte acusa o gerente administrativo do Caxias, Diogo Aver, de agressão, explica as expulsões de Marcelo Pitol, Juninho Potiguar e Da Silva, e também cita a presença de Washington Stecanela Cerqueira, diretor de desenvolvimento da CBF, no banco de reservas grená durante o jogo.

“Após o término da partida, o campo de jogo foi invadido – não sendo possível identificar o local da invasão – pelo senhor Diogo Vicente Aver, identificado pelo clube SER Caxias, após o tumulto, como seu gerente operacional. O qual, se aproveitando de quando eu falava com os jogadores da equipe SER Caxias, se aproximou e me agrediu com uma joelhada nas nádegas. Logo após este fato, fui novamente agredido pelo mesmo gerente com um tapa no rosto. Durante o ato, o mesmo ofendeu-me com as seguintes palavras: ” você é um ladrão , safado, vai toma no c*, vem aqui roubar meu time”, presenciado pelos assistentes da partida. Após o fato acima, houve a chegada do policiamento que conteve os atletas e membros da comissão técnica SER Caxias e nos conduziu ao vestiário”.

Lucas Bellotte também citou o encontro que o quarteto de arbitragem teve com Washigton Cerqueira no vestiário do Estádio Centenário e as imagens que mostram o ex-centroavante passando uma informação para Jefferson Ribeiro, auxiliar-técnico grená, através de um celular.

“Informo que, antes da partida, esteve no vestiário da arbitragem o Sr. Washington Stecanela Cerqueira se identificando na função de Diretor de Desenvolvimento da CBF. O mesmo desejou uma boa partida. Informo também que, no intervalo da partida, identificamos o mesmo no banco de reservas da equipe SER Caxias e foi solicitado que deixasse o local. Ao final da partida, enquanto realizávamos a súmula, visualizamos na internet vídeos do Sr. Washington Stecanela Cerqueira mostrando um equipamento de celular ao auxiliar-técnico, Sr. Jeferson Ribeiro da Silva, da equipe SER Caxias”.

O árbitro de Caxias e Botafogo explicou as expulsões de Marcelo Pitol, Juninho Potiguar e Da Silva. Conforme Bellote, o goleiro foi expulso por lhe dar um tranco com o peito, enquanto Potiguar e Da Silva por um soco e um chute, respectivamente, identificados pelos árbitros auxiliares.

Em contato com o Pioneiro, o chefe do departamento de arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, afirmou que todas as partidas passam por análise. As conclusões dos desempenhos dos árbitros, entretanto, não são abertas. Assim, qualquer punição contra Lucas Belotte não será divulgada.

O Procurador Geral do STJD, Felipe Bevilacqua, afirmou que a procuradoria está reunindo todos os elementos do episódio e que irá realizar uma denúncia no tribunal.

Fonte: Gaúcha ZH