Empresário prevê dificuldade financeira para família de lateral morto Jancarlos

Compartilhe:

Morto na última sexta-feira após sofrer um acidente de carro no estado do Rio de Janeiro, o lateral Jancarlos deixa três filhas e uma mulher. Paulo Thebalde, empresário do atleta, prevê muita dificuldade financeira para os familiares após a perda do lateral.

“Ele tinha três filhas. Duas gêmeas de três anos e a mais velha de sete anos. Acredito que não vai ser fácil para a mulher dele cuidar de três filhas. Tem uma condição boa, um atleta que chegou a ganhar R$ 100 mil por mês na época do Cruzeiro e do São Paulo, mas depois caiu e ficou sem ganhar nada”, disse o empresário em entrevista ao UOL Esporte.

“Procurei direcionar os investimentos em casas e apartamentos, mas no Brasil, se você não chegar ao nível seleção, fica difícil fazer o pé de meia”, complementou.

Apesar de estar afastado dos grandes times, o lateral ainda não havia se aposentado. O atleta recuperava seu condicionamento físico para arranjar um clube para 2014.

“Ele ainda não tinha se aposentado. Estava vendo inclusive lugar pra ele voltar a jogar. Ele estava treinando na base do Fluminense para coisa encaminhada jogar Estadual. Ele tinha 30 anos, tinha muita gordura para queimar ainda”, completou.

O último clube defendido por Jancarlos foi o Rio Branco, do Espírito Santo, local em que o atleta disputou o Campeonato Estadual e a Copa Espírito Santo.

Entre os times da Série A, a última chance do lateral foi dada pelo Bahia, que estava na Série B em 2010. No entanto, uma lesão no joelho atrapalhou sua sequência.

“No Bahia, ele teve uma fase boa, mas teve uma lesão joelho, no ligamento cruzado. Aí a coisa começou a ficar pior. Fez uma cirurgia, e até hoje não conseguiu se firmar em um clube de nome para mostrar que estava recuperado”, finalizou.

Revelado no Fluminense, Jancarlos foi campeão brasileiro pelo São Paulo em 2008, em time que tinha Muricy Ramalho como técnico. No Rio de Janeiro, ele faturou o Carioca de 2002 e 2010, por Fluminense e Botafogo, respectivamente. Ele ainda levantou taça do Paranaense de 2005, pelo Atlético-PR, e do Mineiro de 2009, pelo Cruzeiro.

Fonte: UOL

Comentários